Gilmar Mendes diz que Lava Jato deve estimular reforma política

"Todos eles [deputados] estão num quadro de fragilidade, acossados, expostos", disse o ministro

Materiais apreendidos após cumprimento de mandados no Recife e em CarpinaMateriais apreendidos após cumprimento de mandados no Recife e em Carpina - Foto: PF/Divulgação

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, disse neste domingo (30) que a Operação Lava Jato deve funcionar como estímulo para que o Congresso Nacional faça uma reforma política. Segundo o ministro, antes da Lava Jato seria difícil imaginar que os parlamentares reformassem o sistema político que os elegeu.

“O ambiente político mudou muito depois da Lava Jato. Antes, você sabia que havia desvios, mas não estava comprovado. Há provas em concreto que atingem praticamente todas as forças políticas. O que me leva a acreditar que o sistema vai mudar: a Lava Jato. Todos eles [deputados] estão num quadro de fragilidade, acossados, expostos. Se não é o deputado, é o companheiro do partido, é o partido que está sendo acusado de ter recebido dinheiro”, disse Gilmar Mendes.

O presidente do TSE abriu simbolicamente a votação, neste domingo, em uma escola pública do Rio de Janeiro. Mendes chegou por volta das 8h15 à Escola Municipal Avertano Rocha, na Cidade de Deus, na zona oeste da cidade, e visitou algumas seções eleitorais.

Veja também

Camila Pitanga estrela campanha do TSE por mais mulheres na política
Eleições 2020

Camila Pitanga estrela campanha do TSE por mais mulheres na política

Saiba como denunciar atos presenciais de campanha que gerem aglomeração
Eleições 2020

Saiba como denunciar atos presenciais de campanha que gerem aglomeração