Política

Governo anuncia declaração sobre política externa feminista na AL

Documento reafirma importância de direitos econômicos das mulheres

Esplanada dos Ministérios, em BrasíliaEsplanada dos Ministérios, em Brasília - Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

O Ministério das Relações Exteriores informou que foi adotada, na sexta-feira (1º), a Declaração sobre a Política Externa Feminista da América Latina e do Caribe.

São cossignatários Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, México e República Dominicana.

A declaração reitera, entre outras disposições, o compromisso dos países signatários com a paridade e a igualdade de gênero, bem como com o fortalecimento do acesso pleno e igualitário das mulheres a posições de liderança e a processos de tomada de decisão na América Latina e no Caribe. 

O documento reafirma ainda a importância da promoção dos direitos econômicos das mulheres e o cumprimento do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 5, da Agenda 2030, sobre igualdade entre os gêneros e empoderamento de mulheres e meninas.

Segundo informou o governo, a adoção do documento ocorreu à margem da VIII Cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC), realizada em São Vicente e Granadinas, no Caribe.

“[Medida] se soma a outras iniciativas brasileiras em favor da igualdade de gênero, como a criação, em março de 2023, do cargo de Alta Representante para Temas de Gênero do Ministério das Relações Exteriores e a adesão do Brasil, em fevereiro de 2024, ao Arranjo Global sobre Comércio e Gênero”, disse o ministério, em nota.

Veja também

Foro privilegiado: entenda as mudanças definidas pelo STF
SUPREMO

Foro privilegiado: entenda as mudanças definidas pelo STF

Boulos diz que serviço funerário de SP virou 'mercado da morte' e promete rever concessão
DECLARAÇÃO

Boulos diz que serviço funerário de SP virou 'mercado da morte' e promete rever concessão

Newsletter