Governo Bolsonaro entrega ao STF vídeo de reunião ministerial citada por Moro à PF

O ministro Celso de Mello determinou que a gravação fique sob sigilo

Jair Bolsonaro e Sergio MoroJair Bolsonaro e Sergio Moro - Foto: Carolina Antunes/PR

A AGU (Advocacia-Geral da União) entregou nesta sexta-feira (8) ao STF (Supremo Tribunal Federal) vídeo da reunião em que o presidente Jair Bolsonaro teria ameaçado de demissão o então ministro da Justiça, Sergio Moro, caso ele não trocasse o diretor-geral da Polícia Federal.

O ministro Celso de Mello determinou que a gravação fique sob sigilo enquanto aguarda manifestação do procurador-geral da República, Augusto Aras, sobre a publicidade do vídeo.

Leia também:

Perguntas e respostas sobre o vídeo de reunião de Bolsonaro, Moro e ministros

"Esse sigilo, que tem caráter pontual e temporário -autorizado pela cláusula inscrita no art. 5º, inciso LX, da Constituição da República, cuja possibilidade de aplicação expressamente ressalvei na decisão proferida no dia 05/05/2020-, será por mim levantado, em momento oportuno, em face do que vier a deliberar sobre os pedidos formulados pelo Senhor Advogado-Geral da União, sobre a impugnação a eles oferecida pelo Senhor Sérgio Fernando Moro e, finalmente, sobre a promoção do Senhor Chefe do Ministério Público da União, em sua condição de 'dominus litis', que foi, na data de hoje, intimado a fazê-lo, no prazo de 24 (vinte e quatro) horas", decidiu o magistrado.

Veja também

'Se eu perder houve fraude' é discurso de quem não aceita a democracia, diz Barroso
CRÍTICAS

'Se eu perder houve fraude' é discurso de quem não aceita a democracia, diz Barroso

PF ouve Pazuello sobre prevaricação atribuída a Bolsonaro e suspeitas na compra da Covaxin
Depoimento

PF ouve Pazuello sobre prevaricação atribuída a Bolsonaro e suspeitas na compra da Covaxin