Governo Doria é reprovado por 38% da população em SP, aponta Datafolha

Segundo pesquisa, 24% dos eleitores do estado classificam gestão do tucano como boa ou ótima

Governador de São Paulo, João DoriaGovernador de São Paulo, João Doria - Foto: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

A gestão do governador João Doria (PSDB) em São Paulo é reprovada por 38% da população do estado, que avaliou seu desempenho como ruim ou péssimo. Segundo a pesquisa do Datafolha divulgada neste domingo pelo jornal Folha de S.Paulo, 24% dos eleitores paulistas classificam o governo como ótimo ou bom, enquanto 38% avaliam como regular.  O governo Doria teve uma nota média, entre 0 e 10,  de 4,7.

O levantamento apontou ainda que o governador de São Paulo tem melhor desempenho no interior do estado, onde 25% aprovam a gestão e 37% avaliam como ruim ou péssimo. Na região metropolitana, a aprovação é de 24% e a reprovação é de 38%.

O Datafolha entrevistou presencialmente 2.034 pessoas, em 70 cidades do estado, dos dias 13 a 15 de setembro. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos.

O governador de São Paulo  deseja se lançar candidato a presidente. Porém, ele ainda disputará neste ano as prévias do PSDB com o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite. 

No levantamento nacional do Datafolha sobre a disputa presidencial, Doria tem entre 4% e 6% de intenções de voto. A variação ocorre pela simulação de cenários diferentes. Na sondagem em que Doria soma 4%, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está à frente  com 44% da preferência dos eleitores, seguido do presidente Jair Bolsonaro com 26%.

Nesta pesquisa, Doria aparece com 37% de rejeição dos eleitores, próximo de Lula com 38%.  O presidente Bolsonaro é o mais rejeitado entre os eleitores com 59%.

A pesquisa nacional ouviu 3.667 pessoas entre 13 e 15 de setembro, em 190 cidades brasileira. A  margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, dentro do nível de confiança de 95%.

A mais recente pesquisa Datafolha também mostrou que  um em cada dois brasileiros afirmam que há chances de que Bolsonaro dê um golpe de estado. O levantamento foi realizado na semana seguinte aos atos bolsonaristas realizados em 7 de setembro em todo o país, em meio aos quais Bolsonaro reiterou declarações de cunho golpista em discursos de ataque às instituições, em especial a ministros do Supremo Tribunal Federal.

Em resposta estimulada, 30% dos entrevistados disseram que "há muita chance de Bolsonaro dar um golpe de Estado", ao passo que 20% veem "um pouco de chance". Para 45%, não há chance de ruptura institucional. Não responderam 6% dos consultados.

O levantamento também questionou sobre a probabilidade da volta de uma ditadura no país. Para 20% dos entrevistados, há muitas chances. Outros 31% veem que há "um pouco de chance" de que isso ocorra, ante 45% que dizem não enxergar essa possibilidade e 5% que não sabem.

A soma dos que veem alguma possibilidade da volta de um regime ditatorial agora (51%) é a maior desde que a pergunta começou a seer feita pelo instituto, em 2014, e empata tecnicamente com o registrado em outubro de 2018, em meio à eleição presidencial que elegeu Bolsonaro. À época, 50% diziam ver alguma chance de volta de ditadura.

Veja também

Lira leva ao plenário projeto que prevê ações 'contraterroristas', baseado em proposta de Bolsonarocongresso

Lira leva ao plenário projeto que prevê ações 'contraterroristas', baseado em proposta de Bolsonaro

Uma reeleição antecipada e um clima pesado em PetrolinaCarlos Britto

Uma reeleição antecipada e um clima pesado em Petrolina