Ministério do Turismo

Governo freia mudança no Turismo diante de impasse em votação na Câmara

Ministro da Secom, Paulo Pimenta, afirmou que governo vai esperar o término das votações no Congresso para retomar discussões envolvendo a participação de partidos no governo

Presidente Lula e a ministra do Turismo Daniela Carneiro em conversa no Palácio do Planalto nesta terça-feira Presidente Lula e a ministra do Turismo Daniela Carneiro em conversa no Palácio do Planalto nesta terça-feira  - Foto: Claudio Kbene

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) adiou, mais uma vez, a saída de Daniela Carneiro do comando do Ministério do Turismo e decidiu esperar o término das votações das pautas econômicas que são prioritárias do governo e estão em discussão no Congresso Nacional.

O ministro da Secretaria de Comunicação Social, Paulo Pimenta, afirmou nesta quinta-feira que o governo vai esperar a "conclusão das votações que estão acontecendo" para se "debruçar" no debate que envolve os partidos, incluindo o União Brasil.

— O governo tem uma atenção especial para acompanhar a conclusão das votações que estão acontecendo no Congresso. Esse momento é muito importante, é um momento importante para o país pela complexidade dos termos que estão sendo analisados, pela repercussão, e entende que o mais adequado é a gente concluir primeiro o processo das votações, e a partir da semana que vem se debruçar no debate que envolve os demais partidos e organizações dentro do governo.

Após pedir desfiliação da legenda, Daniela perdeu apoio da bancada do União Brasil, em uma crise que se arrasta desde abril. A ministra se reuniu com Lula nesta tarde e, segundo afirmou o prefeito de Belford Roxo, Waguinho — aliado de Lula e marido dela —, ela entregaria uma carta de demissão em que colocaria o cargo "à disposição" e agradeceria pela oportunidade de ter ocupado o cargo de primeiro escalão.

O Globo mostrou que o Planalto acertou com Daniela e Waguinho a construção de um hospital e de um instituto federal na cidade da Baixada Fluminense como contrapartidas para a saída dela do posto. Waguinho chegou a subir o tom contra Padilha ao longo da crise, mas depois recuou e afirmou que ele e o ministro haviam “selado a paz”.

Pimenta, no entanto, afirmou nesta tarde que Daniela não entregou a carta de demissão durante a conversa com o presidente Lula.

No Palácio do Planalto, a conversa entre Lula e Daniela ocorreu com a presença do ministro Alexandre Padilha (Relações Institucionais).

As conversas com os partidos para possíveis mudanças só devem ser retomadas com o início do recesso parlamentar — a partir do fim da próxima semana.

— O governo vai retomar os diálogos com lideranças, interlocutores de diferentes grupos e partidos — disse Pimenta.

Veja também

"Abin paralela": Ramagem responde a 130 perguntas na Polícia Federal
polícia federal

"Abin paralela": Ramagem responde a 130 perguntas na Polícia Federal

Eduardo Bolsonaro diz que Marçal fez "recorte malicioso" de entrevista concedida pelo deputado
BRASIL

Eduardo Bolsonaro diz que Marçal fez "recorte malicioso" de entrevista concedida pelo deputado

Newsletter