Governo nomeia professor da UFRJ como secretário de ciência e tecnologia na saúde

O cargo será ocupado pelo médico e biofísico Antônio Carlos Campos de Carvalho

Ministério da SaúdeMinistério da Saúde - Foto: Reprodução/Internet

O governo publicou nesta segunda-feira (4) a nomeação do médico e biofísico Antônio Carlos Campos de Carvalho para ocupar o cargo de secretário de ciência e tecnologia do Ministério da Saúde. Esse é o segundo nome confirmado até o momento na equipe do novo ministro, Nelson Teich. Até então, o único nome já oficializado era do general Eduardo Pazuello como secretário-executivo.

Leia também:
Justiça intima Ministério da Saúde a afastar direção de hospital federal no Rio
Em sua primeira viagem oficial, Teich visita Manaus, colapsada pelo coronavírus

A medida foi publicada no Diário Oficial da União. O ato foi assinado pelo ministro-chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto. No cargo, Carvalho deve ficar responsável pela avaliação de incorporação de medicamentos e tecnologias ao SUS, incluindo análises de resultados de pesquisas sobre temas caros ao governo, como uso da cloroquina para tratamento do novo coronavírus.

O novo secretário é professor titular da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e tem mestrado e doutorado em biofísica pela mesma universidade. Seu foco acadêmico é a comunicação intercelular, células tronco e terapias celulares. Ele já havia sido diretor do departamento de ciência e tecnologia da mesma secretaria entre 2013 e 2015.

O até então secretário de ciência e tecnologia do Ministério da Saúde, Denizar Vianna, foi exonerado do cargo nesta segunda-feira (4). Na prática, Vianna deve continuar no ministério, como assessor especial de Teich, de quem é próximo. Ele havia chegado ao cargo anterior na gestão do ex-ministro, Luiz Henrique Mandetta.

Veja também

Cidades têm volta do panelaço em protesto pela má condução da pandemia pelo governo federal
Protesto

Cidades têm volta do panelaço em protesto pela má condução da pandemia pelo governo federal

Oposição decide entrar com novo pedido de impeachment de Bolsonaro por crise em Manaus
Congresso

Oposição decide entrar com novo pedido de impeachment de Bolsonaro por crise em Manaus