A-A+

Governo vai tomar um cacete e pedir desculpas, senão trava a Previdência, diz Olímpio sobre mínimo

Olímpio disse que Bolsonaro tem a seu favor apenas o PSL, sigla que chamou de Geni, prostituta que protagoniza o clássico "Geni e o Zepelim", de Chico Buarque

Major Olímpio é o líder do PSL no SenadoMajor Olímpio é o líder do PSL no Senado - Foto: Divulgação

Após analisar a proposta do governo de corrigir o salário mínimo apenas pela inflação em 2020, o líder do partido do presidente Jair Bolsonaro no Senado, Major Olímpio (PSL-SP), disse ter chegado a uma conclusão: "o governo vai tomar um cacete e pedir desculpas, senão trava de vez a Previdência".

"Politicamente fiquei preocupado", disse Olímpio à Folha de S.Paulo, por mensagem, na madrugada desta terça-feira (16).

"Ao valor do salário mínimo, muitos custos estão atrelados, então, o governo está indo no limite do que entende possível. Mas a questão será muito polêmica, sem a certeza mesmo que hoje o governo consiga maioria", ponderou o correligionário de Bolsonaro.

Leia também:

Marinho diz que mais pobres têm pressa de Reforma da Previdência
Presidente da CCJ prioriza Previdência na pauta, mas centrão quer inverter ordem


"Dentro do novo debate, com a nova política, na prática, se o centrão se juntar à oposição, o governo já toma um tremendo cacete. E ainda neste momento, o governo vai tomar um cacete e pedir desculpas, senão trava de vez a Previdência", disse o líder do PSL no Senado.

Olímpio disse que Bolsonaro tem a seu favor apenas o PSL, sigla que chamou de Geni, prostituta que protagoniza o clássico "Geni e o Zepelim", de Chico Buarque.

"De verdade, o governo só tem mesmo a sua Geni, que é o partido do presidente. 'Joga pedra na Geni, ela é boa de cuspir, ela dá pra qualquer um'", disse Olímpio, citando trechos da música.

O líder do PSL no Senado também citou o DEM, partido que, além das presidências da Câmara e do Senado, comanda os ministérios da Casa Civil, da Agricultura e da Saúde.

"O DEM tem três ministérios e as presidências da Câmara e do Senado, e, na hora do pau, diz: 'não sei se sou base ou oposição'. Vai querer o que dos demais, que não têm nem um cafezinho com educação?", indagou Olímpio, antes de concluir a mensagem.

"Difícil resolver uma pendenga destas. Tem tudo para ser rejeitada no Congresso esta proposta do mínimo."

Na segunda-feira (15), parlamentares já consideravam que a proposta enviada pelo governo, que encerra a política que permitia ganhos reais aos trabalhadores, não deve ser aprovada pelo Congresso e piora o clima para a apreciação da reforma da Previdência.

"Em 15 anos, será a primeira vez que o salário mínimo não terá reajuste de um centavo sequer. Um retrocesso que aprofundará o abismo social do Brasil", disse o líder da Minoria no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

A política de aumento real do salário mínimo foi implementada no governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e transformada em lei por sua sucessora Dilma Rousseff (PT). A regra, entretanto, teve validade encerrada em janeiro deste ano.

Veja também

Bolsonaro vira 'criminoso climático' em ação nas ruas de NY antes de Assembleia da ONU
ONU

Bolsonaro vira 'criminoso climático' em ação nas ruas de NY antes de Assembleia da ONU

Sindicato acusa Prevent Senior de forçar médicos a falar que receitaram cloroquina por conta própria
CPI

Sindicato acusa Prevent Senior de forçar médicos a falar que receitaram cloroquina por conta própria