Ibope aponta que 44% são contra reforma da Previdência

A pedido da Presidência da República, a pesquisa foi realizada entre os dias 25 e 29 de janeiro em âmbito nacional

Ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira FrancoMinistro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco - Foto: Divulgação/PMDB

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, antecipou nesta terça-feira (30) em uma rede social o resultado de pesquisa do Ibope que aponta que 44% dos entrevistados responderam ser contrários à reforma da Previdência. Segundo o ministro, pela primeira vez, menos da metade dos entrevistados se posicionou contra as mudanças nas regras da aposentadoria. A pedido da Presidência da República, a pesquisa foi realizada entre os dias 25 e 29 de janeiro em âmbito nacional.

“As pessoas estão se convencendo, cada vez mais, de que a reforma acabará com os privilégios de quem ganha muito e trabalha pouco, além de garantir investimentos em saúde e educação”, disse Moreira Franco em sua página no Twitter.

De acordo com o ministro, 63% dos entrevistados concordam que as regras previdenciárias devem ser as mesmas para servidores públicos e funcionários privados. "Ou seja: igualdade de direitos para todos. Seguimos em frente na luta contra privilégios, pelo bem do Brasil e dos brasileiros".

A avaliação do ministro sobre a melhora da percepção da sociedade é compartilhada por outros integrantes da base governista e da equipe da Presidência. Nos últimos dias, o Palácio do Planalto tem intensificado a comunicação sobre a proposta de mudança na legislação da Previdência. Entre as estratégias, está a participação do presidente Michel Temer em programas populares de televisão e rádio. O objetivo é tirar dúvidas sobre a nova versão da proposta, diminuir as críticas e atrair mais apoio dos parlamentares em torno da reforma, que pode ser votada ainda no mês de fevereiro no plenário da Câmara dos Deputados.

 

Tweet do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco

Tweet do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco - Foto: Rede Social/ Twitter


A campanha deve ser reforçada a partir da próxima semana, quando os parlamentares voltam a Brasília para o início do ano legislativo do Congresso Nacional. A expectativa é que o relatório da emenda constitucional que trata da reforma comece a ser discutido no plenário da Câmara a partir do dia 5 de fevereiro.

Nesta terça-feira (30), o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, se reunirá com lideranças partidárias na residência oficial do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para reforçar as articulações políticas com os deputados. 

Veja também

Imposto nos moldes da CPMF terá de ser debatido 'mais cedo ou mais tarde', diz Mourão
governo

Imposto nos moldes da CPMF terá de ser debatido 'mais cedo ou mais tarde', diz Mourão

Governo demite coordenadora do Inpe responsável por monitorar desmatamento
governo

Governo demite coordenadora do Inpe responsável por monitorar desmatamento