Política

Imprensa da Itália destaca prisão de Battisti e possível extradição

Decisão do ministro do STF Luiz Fux agrada autoridades italianas

Cesare Battisti é apontado como terrorista pelas autoridades italianasCesare Battisti é apontado como terrorista pelas autoridades italianas - Foto: Miguel Schincariol/AFP

A imprensa italiana destaca nesta sexta-feira (14) a decisão do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), de mandar prender o italiano Cesare Battisti, de 64 anos, apontado como terrorista. A medida abre espaço para a extradição, iniciativa que conta com o apoio do presidente eleito, Jair Bolsonaro, e é elogiada pelas autoridades da Itália.

O Corriere della Sera, um dos principais jornais impressos do país, disse que a prisão pode ocorrer “imediatamente”. Atualmente, o italiano mora em casa de amigos em Cananeia, no interior de São Paulo.

Leia também:
Fux determina prisão de Battisti; decisão pode facilitar extradição
Embaixador reitera a Bolsonaro expectativa de extradição de Battisti

Battisti foi condenado na Itália por quatro homicídios, cometidos quando integrava o grupo Proletariados Armados pelo Comunismo. Ele chegou ao Brasil em 2004, onde foi preso três anos depois.

Destaque
O jornal ressalta o risco de fuga de Battisti. Lembra que ele tentou escapar para a Bolívia e foi detido por estar com dinheiro não declarado. O Corriere destaca ainda que a decisão de Fux deixa a critério do presidente da República a possibilidade de extradição.

A decisão está nas mãos do presidente Michel Temer até o dia 31. Depois, a partir de 1º de janeiro de 2019, a medida caberá a Bolsonaro. Ambos são favoráveis à extradição.

Televisão
A RAI, emissora pública de televisão da Itália, informa que a decisão de Fux revoga a medida em favor de Battisti. A emissora lembra que a iniciativa foi motivada por um pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, para "evitar o risco de fuga e garantir uma possível extradição".

Segundo a reportagem, o Supremo, no passado, manifestou ser favorável à extradição de Battisti em 2010, mas o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva autorizou a permanência dele no país. O primeiro-ministro italiano, Matteo Salvini, em outubro, elogiou a possibilidade de extradição. Battisti vive no Brasil desde 2009.

Veja também

PF conclui que Milton Ribeiro não cometeu crime em disparo de arma de fogo no aeroporto
Política

PF conclui que Milton Ribeiro não cometeu crime em disparo de arma

Colômbia está diante de guinada histórica para a esquerda
Mundo

Colômbia está diante de guinada histórica para a esquerda