Política

Inquérito da PF sobre invasão a tríplex criminaliza luta social, diz Boulos

Em abril, militantes do MTST invadiram por horas o tríplex no Guarujá, em resposta à prisão do ex-presidente

Guilherme BoulosGuilherme Boulos - Foto: Divulgação

O inquérito da Polícia Federal que investiga a ocupação por integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) do tríplex atribuído a Lula é um sintoma da criminalização das lutas sociais e é uma ameaça à democracia, disse o líder do movimento e pré-candidato do PSOL à Presidência, Guilherme Boulos, nesta quinta (7).

Boulos falou a jornalistas, em São Paulo, após ter prestado depoimento à PF nessa investigação. Em abril, militantes do MTST invadiram por horas o tríplex no Guarujá, em resposta à prisão do ex-presidente. "Ação de movimento social tem que ser tratada num debate político, não com criminalização", afirmou.

Leia também:
Tríplex atribuído a Lula é arrematado por R$ 2,2 milhões
Órfãos do PT aderem a manifesto pró-Boulos


O líder dos sem teto disse ter relatado à PF que não participou da ação, mas que a apoiava e considerava legítima. O objetivo, segundo Boulos, era denunciar a condenação de Lula pelo juiz Sergio Moro por esse apartamento -e não permanecer no imóvel.

Boulos disse "estranhar a abertura de inquérito sobre a ocupação simbólica de uma propriedade privada sem que haja reclamação do proprietário do imóvel". Perguntado sobre detalhes do depoimento, ele respondeu que a investigação é sigilosa e que, por isso, ele não poderia dar detalhes do interrogatório.

Veja também

Sergio Moro afirma ser "provável" se lançar ao Senado em São Paulo
Eleições

Moro afirma ser 'provável' se lançar ao Senado em São Paulo

Projetos sobre combustíveis devem tramitar rápido no Senado
Combustíveis

Projetos sobre combustíveis devem tramitar rápido no Senado