Instituições devem ser honradas, diz Gilmar após Bolsonaro divulgar vídeo de apoio a ato

Ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), publicou nas redes sociais uma mensagem em defesa das instituições e da separação dos Poderes

Ministro do STF, Gilmar Mendes. Ministro do STF, Gilmar Mendes.  - Foto: Valter Campanato / Agência Brasil

O ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), publicou nas redes sociais nesta quarta-feira (26) uma mensagem em defesa das instituições e da separação dos Poderes.

A manifestação vem no dia seguinte à divulgação da informação de que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) enviou a seus contatos, por WhatsApp, um vídeo que conclama seus apoiadores a participarem de manifestação pró-governo e contra o Congresso em 15 de março.

"A CF88 [Constituição Federal de 1988] garantiu o nosso maior período de estabilidade democrática. A harmonia e o respeito mútuo entre os Poderes são pilares do Estado de Direito, independemente dos governantes de hoje ou de amanhã. Nossas instituições devem ser honradas por aqueles aos quais incumbe guardá-las", escreveu Gilmar no Twitter.

Leia também:
FHC, Lula, Ciro e OAB reagem contra ato anti-Congresso apoiado por Bolsonaro
Ato com grupos autoritários é incentivado por Bolsonaro e gera repúdio
Após incentivar ato anti-Congresso, Bolsonaro diz que reação é tentativa de tumultuar República


O decano do STF, ministro Celso de Mello, também comentou mais cedo o episódio, em nota enviada ao jornal Folha de S.Paulo. Celso afirmou que, se confirmada a conclamação feita por Bolsonaro, ela revela "a face sombria de um presidente da República que desconhece o valor da ordem constitucional, que ignora o sentido fundamental da separação de Poderes, que demonstra uma visão indigna de quem não está à altura do altíssimo cargo que exerce e cujo ato de inequívoca hostilidade aos demais Poderes da República traduz gesto de ominoso desapreço e de inaceitável degradação do princípio democrático!!!".

Veja também

Bolsonaro diz que, se reeleito, indicará mais dois evangélicos para o STFEleições 2022

Bolsonaro diz que, se reeleito, indicará mais dois evangélicos para o STF

PF teme uso eleitoral de inquérito com acusações de Moro contra BolsonaroBrasil

PF teme uso eleitoral de inquérito com acusações de Moro contra Bolsonaro