João Paulo ia à mesa com Bruno, Humberto correu para o ABC

Na manhã de ontem, Paulo Câmara, realçou que “independente dessa questão judicial”, continua conversando com o PT

Lula Lula  - Foto: Divulgação

O senador Humberto Costa havia tido reunião, ontem, na sede do Instituto Lula, ainda cedo para traçar um cronograma de atos da militância que seria executado nos próximos dias. No início da noite, com a prisão do ex-presidente Lula já determinada pelo juiz Sérgio Moro, o senador cuidou de dirigir-se às pressas a São Bernardo do Campo, por volta das 19h, para novas reuniões, depois que os planos originais foram atropelados. No Recife, o presidente estadual do PT, Bruno Ribeiro, tinha uma conversa com João Paulo sobre o futuro do ex-prefeito quando os dois foram surpreendidos pela notícia, que acabou tomando conta do diálogo. No PT, não se esperava que a prisão fosse definida ontem. De antemão, estavam marcadas atividades, que seriam realizadas hoje e na segunda-feira. Daria-se, inicialmente, uma vigília permanente no Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, no ABC Paulista. Os planos foram imediatamente alterados. Em Pernambuco, Bruno Ribeiro convocou a militância e partidos aliados como o PCdoB, o PSOL e o PCO, além de movimentos, para a mobilização “Pernambuco Quer Lula Livre”, hoje, às 15h, na Praça do Derby. O prazo dado por Moro para Lula se apresentar voluntariamente vai até as 17h de hoje. O juiz determinou a prisão depois que o TRF- encaminhou ofício à Vara de Curitiba, autorizando a prisão. A ideia de petistas era retomar as conversas nacionais e regionais, caso as coisas tivessem corrido de outra forma no STF, na quarta-feira, mas, agora, essas tratativas eleitorais devem ficar para depois.

No dia D

Como a travessia de João Paulo para o PCdoB coincidiu com a ordem de prisão de Lula, a presidente nacional da sigla, Luciana Santos, até ontem, tinha voo marcado para embarcar, às 6h, hoje, para São Paulo, e ainda checava como faria para estar na filiação.

Travessia > A filiação de João Paulo será às 10h de hoje, na sede do PCdoB, em Pernambuco. Já durante a noite de ontem, um folder com o horário do ato circulava nas redes sociais.

Chapa > Com o ingresso no PCdoB, aliado de primeira hora do governo Paulo Câmara, as chances de João Paulo estar na chapa majoritária da Frente Popular crescem. O PT ainda não decidiu como se posicionará, o que poderia complicar a articulação para o ex-prefeito concorrer, eventualmente, ao Senado.

Meio termo > Ainda que tenha tido uma conversa com João Paulo, ontem, Bruno Ribeiro não cravou a travessia. Disse que não era uma coisa descartada, mas também não era resolvida.

De longe > O senador Humberto Costa chegou a falar durante o dia com João Paulo ao telefone. A travessia dele para o PCdoB foi à pauta. “Se aventou a possibilidade, mas não pareceu coisa definitiva”, ponderou Humberto, à coluna, num momento em que a determinação da prisão de Lula tomava as atenções no PT.

Aliança > Nos bastidores do PT, corriam comentários, ontem, sobre um encontro entre Paulo Câmara e a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, que teria se dado esta semana.

Indignação > Diante da iminência da prisão de Lula, Bruno Ribeiro critica: “Tudo que diz respeito a Lula tem todo aspecto do julgamento sumário. Ontem, (anteontem) assisti a Cármen Lúcia encerrar a sessão, ao dar seu voto de desempate. Aliás, ela deu outro famoso que estão falando pouco para liberar Aécio (Neves). Terminou 1h da manhã. De manhã, ontem, o TRF4 já estava expedindo a ordem de Moro para prender.”.

Veja também

Viagem de embaixadores ao Amazonas pode ser adiada por causa de Covid, diz Mourão
Amazônia

Viagem de embaixadores ao Amazonas pode ser adiada por causa de Covid, diz Mourão

Jamais esteve em análise privatizar o SUS, seria insanidade, diz Guedes
Saúde

Jamais esteve em análise privatizar o SUS, seria insanidade, diz Guedes