Política

João Santana, mulher e mais quatro pessoas são condenados na Lava Jato

Também entram na lista Zwi Skornicki, o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, Eduardo Musa, e o ex-diretor presidente da Sete Brasil, João Carlos Ferraz

O juiz federal Sérgio Moro condenou nesta quinta-feira (2) o ex-marqueteiro do PT, João Santana, a oito anos e quatro meses de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro no âmbito da Operação Lava Jato. Pelo mesmo crime e com a mesma pena, Moro também condenou a publicitária Mônica Moura.

Também foram condenados o engenheiro Zwi Skornicki, o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, o ex-gerente geral da área internacional da Petrobras, Eduardo Musa, o ex-diretor presidente da Sete Brasil, João Carlos Ferraz.

De acordo com a denúncia do Ministério Público Federal, Zwi Skornicki transferiu recursos para Mônica Moura e João Santana por meio de contas no exterior em nome de offshores não declaradas às autoridades brasileiras, de forma a dificultar ainda mais a identificação da operação ilícita e de seus titulares. O fato caracterizou o crime de lavagem de dinheiro.

A denúncia aponta a transferência de US$ 4,5 milhões a João Santana e Mônica Moura por crimes cometidos diretamente contra a Petrobras. Esse valor correspondia a um montante maior destinado ao PT em decorrência da participação no esquema instaurado.

Veja também

Soraya Thronicke propõe substituir impostos federais por um só tributo
Eleições 2022

Soraya Thronicke propõe substituir impostos federais por um só tributo

STF retoma julgamento sobre nova Lei de Improbidade
Justiça

STF retoma julgamento sobre nova Lei de Improbidade