Jucá diz que Moreira Franco está "tranquilo" com decisão que suspendeu nomeação

Segundo o senador, é "legítimo haver embate político em qualquer ação", e o governo é "democrático"

Romero JucáRomero Jucá - Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), disse que Moreira Franco está "tranquilo" e vai continuar "trabalhando do mesmo jeito", apesar da decisão da Justiça Federal de suspender sua nomeação como ministro da Secretaria-Geral da Presidência. Após se encontrar com Moreira Franco, o senador afirmou que o governo fez "o que entendia que devia fazer", ao ampliar as atribuições e "fortalecer" o Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), que era comandado por Moreira. A Advocacia-Geral da União (AGU) já informou que vai recorrer da decisão.

Na última sexta-feira (3), o presidente Michel Temer empossou Moreira Franco na pasta, que passou a ser responsável, além do PPI, pela Secretaria de Comunicação e pelo Cerimonial da Presidência. Entretanto, nesta quarta-feira (8), o juiz Eduardo Rocha Penteado, da 14ª Vara Federal, teve o entendimento de que a nomeação foi feita para conceder-lhe foro privilegiado. O juiz comparou o episódio de Moreira Franco ao caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foi indicado para a Casa Civil pela então presidenta Dilma Rousseff, no ano passado.

"É completamente diferente do caso do [ex-presidente Luiz Inácio] Lula [da Silva] porque, primeiro, o ministro Moreira Franco já estava no governo exercendo um papel, praticamente com a tratativa de ministro. Ele já exercia seu papel, continua fazendo as mesmas coisas. É um homem experiente e tranquilo. Portanto, não há nenhum problema", afirmou Jucá.

Segundo o senador, é "legítimo haver embate político em qualquer ação", e o governo é "democrático". Ele informou que Moreira Franco vai continuar com suas atribuições na Secretaria Executiva do PPI, mas "respeitando a lei".

"Portanto, é um ajuste administrativo, operacional. A decisão política de dar importância ao ministro Moreira Franco e dele tratar do governo da forma como ele tratava foi tomada quando o presidente assumiu, muito tempo atrás. O ministro está tranquilo. Foi uma liminar, vai haver recurso", disse o parlamentar.

Veja também

Em live, Bolsonaro cita denúncia de vídeo de astrólogo que faz acupuntura em árvores
LIVE

Em live, Bolsonaro cita denúncia de vídeo de astrólogo que faz acupuntura em árvores

Após três anos falando em fraude eleitoral, Bolsonaro assume não ter prova e cita astrólogo
Live

Após três anos falando em fraude eleitoral, Bolsonaro assume não ter prova e cita astrólogo