A-A+

Justiça encerra processo contra Bolsonaro sob acusação de racismo

Em outubro de 2017, Bolsonaro chegou a ser condenado na primeira instância a pagar multa de R$ 50 mil

Presidente da República, Jair Bosonaro (PSL)Presidente da República, Jair Bosonaro (PSL) - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

O processo ao qual o presidente Jair Bolsonaro (PSL) respondia na Justiça Federal do Rio por declarações ofensivas a negros e quilombolas foi encerrado pelo Tribunal Regional Federal (TRF-2) em 15 de maio.

Em outubro de 2017, Bolsonaro chegou a ser condenado na primeira instância a pagar multa de R$ 50 mil reais por declarações que havia feito em abril do mesmo ano.Na ocasião, em palestra no Clube Hebraica, o então deputado federal disse que havia visitado um quilombo e que o afrodescendente mais leve pesava sete arrobas. "Nem para procriador eles servem mais", afirmou.

Em setembro do ano passado, o TRF-2 reverteu a decisão da primeira instância, livrando Bolsonaro da condenação. O tribunal seguiu o entendimento de que os parlamentares são invioláveis por suas opiniões e palavras.

Leia também:
'Pelo que vi até agora, Neymar é inocente', diz Bolsonaro
Bolsonaro sanciona lei que permite internação forçada de usuários de drogas


"A Constituição democrática de 1988 expressamente garantiu aos parlamentares eleitos pelo voto popular o direito de se manifestarem livremente, no exercício de seus mandatos, mediante a certeza de sua inviolabilidade, o que exclui a possibilidade de responsabilização civil ou penal de tais indivíduos por possíveis palavras ofensivas dirigidas a pessoas ou grupos no bojo dos discursos por eles proferidos, no exercício de seus mandatos e na defesa de suas convicções políticas", escreveu o juiz federal Marcelo Pereira da Silva.

Em seguida, o Ministério Público Federal apresentou recurso ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), não admitido pelo vice-presidente do TRF-2. A Procuradoria decidiu que não apresentaria o agravo diretamente ao STJ e, com isso, transcorrido o prazo legal, o processo transitou em julgado.

Em setembro do ano passado, por três votos a dois, o Supremo Tribunal Federal (STF) já havia rejeitado denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) a respeito do mesmo caso.

Veja também

Metade dos brasileiros diz acreditar que Bolsonaro pode dar golpe
Bolsonaro

Metade dos brasileiros diz acreditar que Bolsonaro pode dar golpe

PT turbina estrutura de comunicação mirando eleição de 2022
Eleições 2022

PT turbina estrutura de comunicação mirando eleição de 2022