Justiça encontra R$ 10 mi em conta de ex-primeira-dama; Cabral tem R$ 454

Banco Central também localizou apenas R$ 554 nas contas do operador financeira do ex-governador

Ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio CabralEx-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral - Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

O Banco Central localizou R$ 10 milhões numa conta bancária da ex-primeira dama do Rio, a advogada Adriana Ancelmo. O ex-governador mantinha apenas R$ 454, de acordo com relatório disponibilizado pelo juiz Sergio Moro, da Operação Lava Jato.

A Justiça Federal do Paraná determinou o bloqueio de R$ 10 milhões de todos os investigados de terem alguma relação com a propina paga no Comperj (Complexo Petroquímico do Rio), em Itaboraí. Além de Cabral e a mulher, foram alvo dos bloqueios as empresas relacionadas aos dois.

De acordo com o Banco Central, o escritório de advocacia de Adriana Ancelmo tinha R$ 1 milhão em conta. Já a empresa de Cabral, a Objetiva Gestão e Comunicação Estratégica, não tinha nenhum recurso em contas com o seu CNPJ. Nos últimos dois anos, a empresa recebeu mais de R$ 1,5 milhão, segundo relatório da Receita Federal.

Moro também determinou o bloqueio de recursos nas contas do ex-secretário Wilson Carlos, apontado como o operador administrativo do esquema. Foram encontrados apenas R$ 1.717, 22.

O Banco Central também localizou apenas R$ 554 nas contas de Carlos Emanuel Miranda, apontado como operador financeira do Cabral. Sua empresa, a LRG Agropecuária, tinha outros R$ 4.819.

Todos são suspeitos de participar, segundo o Ministério Público Federal do esquema de propina no Comperj, alvo do processo na Justiça Federal do Paraná.

Veja também

Nena Cabral quer construir três novas unidades de saúde no Paulista
Eleições 2020

Nena Cabral quer construir três novas unidades de saúde no Paulista

Carlos quer explorar potencial turístico dos mercados públicos do Recife
Eleições 2020

Carlos quer explorar potencial turístico dos mercados públicos do Recife