Justiça espanhola estuda extraditar para o Brasil advogado alvo da Lava Jato

Ele é acusado de crimes como lavagem de dinheiro, pagamentos de propina e formação de quadrilha

Ficha de Rodrigo TaclaFicha de Rodrigo Tacla - Foto: Divulgação

A segunda seção do Tribunal da Audiência Nacional estuda nesta quinta-feira (11) a extradição para o Brasil do suposto mentor financeiro da trama de corrupção envolvendo a Petrobras, o advogado Rodrigo Tacla Duran, preso em Madri em novembro do ano passado pelo desvio de R$ 50 milhões. A informação é da Agência EFE.

Duran, que também tem nacionalidade espanhola, foi detido em um luxuoso hotel de Madri por seu suposto envolvimento na maior trama de corrupção na história do país e que já foram condenados diretores da estatal e das principais construtoras do Brasil, além de vários políticos, na Operação Lava Jato.

Ele é acusado de crimes como lavagem de dinheiro, pagamentos de propina e formação de quadrilha, por comandar os pagamentos de comissões a políticos e empresários brasileiros, em troca de obras públicas no Brasil e no exterior.

Em abril do ano passado, Duran fugiu do Brasil com destino aos Estados Unidos e foi em seguida para a Espanha. Ele foi preso no centro de Madri, antes fazer nova viagem, já que tinha passagens marcadas para deixar o país.

Veja também

Bolsonaro afaga China e agradece liberação de insumo para Coronavac
Vacina

Bolsonaro afaga China e agradece liberação de insumo para Coronavac

Governo é favorável à importação privada de vacinas, diz Bolsonaro
Vacina

Governo é favorável à importação privada de vacinas, diz Bolsonaro