Rio de Janeiro

Justiça nega pedido para suspender impeachment contra Witzel

Defesa do governador alega que a Alerj praticou “ato ilegal e violador de garantias"

Governador do Rio de Janeiro, Wilson WitzelGovernador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel - Foto: Fernando Frazão / Agência Brasil

O Tribunal de Justiça negou o pedido do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, para que o processo de impeachment que tramita na Assembleia Legislativa (Alerj) seja suspenso. A defesa do governador alegou que a Alerj praticou “ato ilegal e violador de garantias fundamentais” no processo.

O processo de impeachment foi aprovado por unanimidade, recebendo votos favoráveis de 69 dos deputados estaduais presentes à sessão, pelo crime de responsabilidade, no dia 10 de junho deste ano. Witzel é suspeito de envolvimento em fraudes na contratação de equipamentos e insumos para o setor de saúde do estado. O governador nega as acusações.

Em seu perfil na rede social Twitter, ele divulgou ontem (15) um vídeo em que chama de levianas as acusações. “Não sou ladrão e não deixarei que corruptos e ladrões estejam no meu governo”, disse no vídeo.

O advogado de Witzel, Manoel Messias Peixinho, informou que a defesa estudará as medidas que serão tomadas. “Respeitamos e acatamos a decisão judicial, mas continuarmos com a tese de que a Alerj não observou por integral o direito de defesa do Governador”, disse.

Veja também

PSL e PROS lançam chapa com Jorge Federal e Gustavo Rosa de vice em Olinda
Eleições 2020

PSL e PROS lançam Jorge Federal e Gustavo Rosa de vice em Olinda

PRTB oficializa Missionária Savana como pré-candidata à Prefeitura de São Lourenço
Eleições 2020

PRTB oficializa Missionária Savana como pré-candidata à Prefeitura de São Lourenço