Justiça portuguesa determina extradição de empresário investigado pela Lava Jato

Com a decisão, caberá às autoridades policiais de Portugal iniciar as buscas pelo empresário

Raul SchimdtRaul Schimdt - Foto: Reprodução

A Justiça de Portugal confirmou nesta segunda-feira (29) a extradição do empresário Raul Schmidt, preso em março de 2016 na primeira fase da Operação Lava Jato, para o Brasil. A decisão do Tribunal Constitucional permitirá que Schmidt, que é brasileiro nato e foi naturalizado cidadão daquele país, possa responder pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro em território brasileiro.

Leia também
Morte de testemunha da Lava Jato pode estar relacionada à operação, diz Moro
Lava Jato tem 17 réus soltos após segunda condenação


Com a decisão, caberá às autoridades policiais de Portugal iniciar as buscas pelo empresário, que aguardava em liberdade o desfecho do processo de extradição. A extradição também deverá respeitar algumas condições impostas, como a imputação de crimes que ocorreram antes da obtenção da nacionalidade portuguesa, fato que ocorreu em dezembro de 2011.

O empresário é investigado pelo pagamento de propina a ex-diretores da Petrobras.

As informações foram divulgadas pela Procuradoria-Geral da República (PGR), um dos órgãos que atuou na efetivação da extradição, além da Advocacia-Geral da União (AGU).

Veja também

Justiça ordena bloqueio de bens de Cristiane Brasil e Pedro Fernandes
Rio de Janeiro

Justiça ordena bloqueio de bens de Cristiane Brasil e Pedro Fernandes

Charbel diz que vai dar crédito para recifense sair de palafitas e escolher onde morar
Eleições 2020

Charbel diz que vai dar crédito para recifense sair de palafitas e escolher onde morar