Justiça portuguesa determina extradição de empresário investigado pela Lava Jato

Com a decisão, caberá às autoridades policiais de Portugal iniciar as buscas pelo empresário

Raul SchimdtRaul Schimdt - Foto: Reprodução

A Justiça de Portugal confirmou nesta segunda-feira (29) a extradição do empresário Raul Schmidt, preso em março de 2016 na primeira fase da Operação Lava Jato, para o Brasil. A decisão do Tribunal Constitucional permitirá que Schmidt, que é brasileiro nato e foi naturalizado cidadão daquele país, possa responder pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro em território brasileiro.

Leia também
Morte de testemunha da Lava Jato pode estar relacionada à operação, diz Moro
Lava Jato tem 17 réus soltos após segunda condenação


Com a decisão, caberá às autoridades policiais de Portugal iniciar as buscas pelo empresário, que aguardava em liberdade o desfecho do processo de extradição. A extradição também deverá respeitar algumas condições impostas, como a imputação de crimes que ocorreram antes da obtenção da nacionalidade portuguesa, fato que ocorreu em dezembro de 2011.

O empresário é investigado pelo pagamento de propina a ex-diretores da Petrobras.

As informações foram divulgadas pela Procuradoria-Geral da República (PGR), um dos órgãos que atuou na efetivação da extradição, além da Advocacia-Geral da União (AGU).

Veja também

Pacheco diz que votação da PEC dos Precatórios deve ocorrer na próxima quinta (2)
SENADO

Pacheco diz que votação da PEC dos Precatórios deve ocorrer na próxima quinta (2)

Bolsonaro grava vídeo por Andre Mendonça, que será sabatinado na CCJ
STF

Bolsonaro grava vídeo por Andre Mendonça, que será sabatinado na CCJ