Orçamento secreto

Lewandowski acompanha Rosa Weber e há 5 votos no STF para suspender execução do orçamento paralelo

Como não há transparência sobre os gastos, também é conhecido como 'orçamento secreto'

Ministro Ricardo Lewandowski Ministro Ricardo Lewandowski  - Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF

Cinco dos atuais dez ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) já votaram para suspender a execução das chamadas "emendas de relator" no orçamento de 2021.

Essas emendas compõem o "orçamento paralelo", que tem sido usado pelo governo do presidente Jair Bolsonaro para turbinar as emendas parlamentares de aliados no Congresso.

Como não há transparência sobre os gastos, também é conhecido como "orçamento secreto".
 

O último a votar foi o ministro Ricardo Lewandowski. Antes dele, já tinham se manifestado da mesma forma a relatora, Rosa Weber, mais Cármen Lúcia e Luís Roberto Barroso e Edson Fachin.

Até agora, apenas as ministras Rosa Weber e Cármen Lúcia divulgaram seus votos. Fachin e Barroso se limitaram a acompanhar a relatora.

Veja também

Quase metade dos perfis bloqueados pelo STF tem ligação com 8 de janeiro ou bloqueio de estradas
BRASIL

Quase metade dos perfis bloqueados pelo STF tem ligação com 8 de janeiro ou bloqueio de estradas

Comandante do Exército cita compromisso da Força com "mais caros ideais democráticos"
BRASIL

Comandante do Exército cita compromisso da Força com "mais caros ideais democráticos"

Newsletter