BRASIL

Líder da bancada deixa o PSDB após partido não apoiar Nunes

O partido, é até então o maior da Câmara, ao lado do PT

Ricardo Nunes (MDB)Ricardo Nunes (MDB) - Foto: Reprodução

A insatisfação é visível quando o vereador Gilson Barreto, um dos fundadores do PSDB na década de 1980, fala sobre o cenário político atual da sigla e a recusa da direção tucana a apoiar a reeleição de Ricardo Nunes (MDB) em 2024. Ele, que é líder da bancada tucana na Câmara Municipal de São Paulo e vice-presidente da comissão provisória que lidera o diretório municipal, anunciou a desfiliação do partido.

O partido, até então o maior da Câmara, ao lado do PT, com oito vereadores, agora se vê diante da possibilidade concreta de perder todos os seus representantes nesta janela partidária - a debandada ocorre até a próxima sexta-feira, data-limite para estar filiado ao partido que representará nas urnas em outubro. A direção da legenda minimiza o episódio, diz que a questão é "página virada" e que a decisão de não fechar com Nunes foi tomada democraticamente, por 9 votos a 2, entre militantes históricos que compõem o diretório municipal.

Em conversa com o Estadão, o vereador criticou a cúpula partidária e reclamou que as decisões são tomadas "de cima para baixo" em Brasília e no Rio Grande do Sul - uma referência a líderes no plano federal, como o governador gaúcho Eduardo Leite e o presidente da sigla, Marconi Perillo. Para ele, há uma "falta de compreensão" a respeito da continuidade da gestão de Bruno Covas, prefeito tucano que morreu em 2021.

O empenho do PSDB estaria principalmente em apoiar a deputada Tabata Amaral (PSB), segundo Barreto. "Eles vão entregar a sigla, o PSDB, juridicamente, porque a militância, os adeptos, os filiados estão com o Ricardo Nunes", disse o vereador.

Há, dentro do partido, quem defenda candidatura própria. Barreto alegou, porém, que nunca foram apresentados nomes concretos, o que reforçaria o interesse em Tabata. Nesse caso, há temor de que o apoio tucano acabe indo, em um segundo turno, para o deputado Guilherme Boulos (PSOL), pela proximidade entre PSB e PT no plano federal.

Veja também

Tentativa de corrupção contra Wilson de Paula buscava benefício para instalar empresa em Pernambuco
BENEFÍCI FISCAL

Tentativa de corrupção contra Wilson de Paula buscava benefício para instalar empresa em Pernambuco

Quase metade dos perfis bloqueados pelo STF tem ligação com 8 de janeiro ou bloqueio de estradas
BRASIL

Quase metade dos perfis bloqueados pelo STF tem ligação com 8 de janeiro ou bloqueio de estradas

Newsletter