Líder do PT no Senado volta a defender 'luta nas ruas'

Segundo Lindbergh Farias, ''só a luta institucional' não vai levar o PT a lugar algum

Para o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), a decisão do juiz  mostra que o magistrado nunca agiu de forma imparcialPara o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), a decisão do juiz mostra que o magistrado nunca agiu de forma imparcial - Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O líder do PT no Senado, Lindbergh Farias (RJ), voltou a defender "luta nas ruas" nesta segunda-feira (22), durante ato em Porto Alegre, onde ocorrerá o julgamento em segunda instância do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na próxima quarta (24). Ao discursar para estudantes, Lindbergh disse que a Justiça já mostrou que tem lado. "Só a luta institucional não vai nos levar a lugar nenhum", discursou.

O senador afirmou que os apoiadores de Lula deveriam enviar o seguinte recado aos defensores de sua condenação: "Se vocês querem apostar na irresponsabilidade dobrada, se querem colocar o país na instabilidade política, venham porque estamos prontos para lutar nas ruas deste país", discursou.

Leia também
PT agenda encontro para avaliar resultado do julgamento de Lula
Porto Alegre terá atiradores de elite para julgamento de Lula
Em Porto Alegre, manifestantes marcham em defesa de Lula

Repetindo que este não é o momento para uma esquerda frouxa, lembrou que hoje o ex-governador Leonel Brizola, morto em 2004, completaria 96 anos. E que o líder pedetista era um exemplo de resistência e enfrentamento, inclusive à TV Globo.

Lindbergh discursou em um ato de transferência simbólica da sede da UNE (União Nacional dos Estudantes) para o DCE (Diretório Central dos Estudantes) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a exemplo do ocorrido em 1961, quando Brizola liderou a rede da legalidade em favor da posse do ex-presidente João Goulart.

Presidente da UNE à época, o ex-deputado Aldo Arantes (PCdoB), disse ver semelhança entre os dias de hoje e os que antecederam o golpe de 1964. "Não sabemos no que vai dar [depois de amanhã]. Este julgamento vai marcar nossa história. Se Lula for condenado, a luta vai continuar", afirmou Aldo Arantes. Ex-presidente da UNE, o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) disse que a politização do processo seria "um tiro no pé" por unificar as esquerdas em defesa de Lula.

Veja também

Senador Arolde de Oliveira morre em decorrência da Covid-19
Política

Senador Arolde de Oliveira morre em decorrência da Covid-19

Senado aprova indicação de Alexandre Costa Rangel para CVM
política

Senado aprova indicação de Alexandre Costa Rangel para CVM