Lidermac atuou em muitas obras tanto na PCR quanto no Estado

PSB questionou as informações da PF, em relação às doações de campanha

Evolução dos empenhosEvolução dos empenhos - Foto: Arte/FolhaPE

Investigada na Operação Vórtex, a construtora Lidermac firmou contratos de R$ 87 milhões com o Governo do Estado de 2010 a 2016, segundo a Polícia Federal. Desta quantia, R$ 75 milhões foram fechados até 2014, último ano de gestão do ex-governador Eduardo Cam­pos, morto em agosto daquele ano. Em levantamento do Portal da Transparência do Governo do Estado, feito pela Folha de Pernambuco, foram identificados 43 empenhos no valor total de R$ 75.327.400,90, entre 2009 e 2016.

Análise semelhante feita pela reportagem também constatou uma evolução nos empenhos da Prefeitura do Recife na gestão do prefeito do Recife, Geraldo Julio. Entre 2013 e 2016, houve um registro de 240 empenhos em um total de R$ 71.051.419,02 liquidados em contratos firmados pela administração municipal com a empresa.

Leia também:
Grupo ligado a Marina tinha negócios com Lidermac
PF cumpre quatro mandados de condução coercitiva em desdobramento da Operação Turbulência
Operação Vortex surgiu a partir da delação da Odebrecht local
Genro de ministro do TCU é conduzido coercitivamente pela PF dentro da Operação Vórtex
Empresa investigada pela PF doou 1,5 milhão para campanha de Paulo Câmara

A maioria das obras da Lidermac no Estado foi vinculada ao Departamento de Estradas de Rodagens de Pernambuco (DER-PE). A empresa foi responsável pelas obras da restauração da rodovia PE-004, no trecho que vai de Itaquitinga até Condado; implantação e pavimentação da rodovia PE-016 (Estrada da Mumbeca); interligação rodoviária entre municípios na PE-180 e restauração da rodovia PE-060. Do total de obras da Lidermac com o Estado, o maior registro de empenhos foi feito nos anos de 2011, quando houve um total de 11 que somam R$ 31.424.357,36, e 2012, também com 11 empenhos, com valor total liquidado de R$ 10.553.927,13.

Acesso
Por sua vez, o Consórcio firmado entre a Construcap e a Lidermac para a construção do acesso viário da fábrica da Fiat foi o que mais rendeu empenhos. Entre 2013 e 2016, foram empenhados R$ 133.755.439.10 milhões para o grupo, referentes apenas à obra de acesso ao empreendimento automobilístico.

Segundo a PF, essas obras não são investigadas, nem os contratos são, necessariamente, irregulares. Mas pela forma como o dinheiro foi repassado pela empresa - por meio da conta de passagem - eles levantam suspeitas.

Em 2012, a empresa chegou a integrar o Consórcio formado junto com a empresa Foz do Brasil, do Grupo Odebrecht em contrato de Parceria Público Privada (PPP) para investimentos de R$ 4,5 bilhões em saneamento básico. Hoje, a obra está sob o comando do fundo canadense Brookfield, após esta comprar o antigo braço ambiental da Odebrecht.

A reportagem observou também uma evolução no quantitativo de empenhos da empresa com a Prefeitura do Recife, desde o início da gestão Geraldo Julio, que passou de 28 empenhos em 2013 para 143 em 2016. A maior parte das obras se trata de manutenção e recuperação de pavimentação. Contatados, Governo do Estado e PCR não quiseram se manifestar.

PSB: “Houve equívoco de aritmética”
O Partido Socialista Brasileiro de Pernambuco (PSB) questionou as informações da PF, em relação às doações de campanha. Uma fonte ligada à investigação disse que dos R$ 3,8 milhões doados em 2014 pela empresa, R$ 1,5 milhão teria sido para a campanha do governador Paulo Câmara. Na nota, a legenda afirmou que não recebeu doação milionária.

“No período 2006-2014 a empresa Lidermac fez apenas uma doação à campanha majoritária do PSB, no ano de 2014, no valor de R$ 500 mil, legalmente recebida e declarada à Justiça Eleitoral, que aprovou a prestação de contas”, diz a legenda, acrescentando que houve "um equívoco de aritmética”.

“Os responsáveis pela apuração somaram três vezes a mesma doação de R$ 500 mil durante sua tramitação do Diretório Nacional, que a recebeu, para o Diretório Estadual, que a repassou ao comitê financeiro da campanha do candidato a governador”, acrescentou.

No comunicado, a direção estadual do PSB afirma que “se mantém à disposição da sociedade, das autoridades e dos meios de comunicação para fazer novos esclarecimentos, se necessário, ressaltando seu compromisso com a ética, a transparência e a verdade”.

Veja também

Lira defende fundão e diz que, sem verba pública, campanhas podem ser bancadas por milícia e tráfico
Fundão eleitoral

Lira defende fundão e diz que, sem verba pública, campanhas podem ser bancadas por milícia e tráfico

Governo usa imagem de homem armado para homenagear agricultores e gera críticas nas redes
Governo federal

Governo usa imagem de homem armado para homenagear agricultores, é criticado e apaga post