BRASIL

Lula brinca com discurso duro de Lira e presidente da Câmara diz estar aberto a ajudar o governo

Reunião no Alvorada teve participação de representantes de todos os partidos com assento na Esplanada

Sessão solende da posse de Flávio Dino no STFSessão solende da posse de Flávio Dino no STF - Foto: Ricardo Stuckert/PR

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reuniu na noite desta quinta-feira em um happy hour no Palácio da Alvorada ministros, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e lideranças de partidos da base na Casa. Ao discursar, Lira, segundo presentes, disse que o Parlamento estava aberto a ajudar o governo e celebrou os entendimentos com o Executivo. Lula, por sua vez, brincou com o discurso duro feito pelo presidente da Câmara na abertura do ano legislativo, no dia 5 de fevereiro.

O encontro, um gesto de aproximação em um momento em que o governo acumula insatisfações no Congresso, durou cerca de duas horas e meia e teve clima descontraído. Foram servidos uísque, cerveja e vinho. Para comer, pastéis e queijos. Além de Lira, também discursaram Lula e o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE). O ministro da Secretaria Relações Institucionais (SRI), Alexandre Padilha, com quem Lira rompeu o diálogo, não falou. A SRI é responsável pela relação do governo com o Congresso.

Durante o seu discurso, Guimarães elogiou a boa relação com Lira e agradeceu ao presidente da Câmara pelos projetos aprovados no ano passado. Lula, em tom de brincadeira, o interrompeu e perguntou:

— E aquele discurso que ele fez?

Os políticos presentes, inclusive Lira, riram e o líder do governo continuou com a sua fala. O ministro mais citado pelo presidente em seu discurso foi Fernando Haddad. Lula agradeceu ainda o apoio do Congresso nas “pautas complexas” enviadas pelo titular da Fazenda no ano passado. O petista também fez elogios a Padilha e Guimarães. O mandatário disse que 2024 será um ano promissor. Falou que pretende promover novos encontros com os deputados e que chamará o ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, para fazer churrasco.

 

A reunião ocorreu depois de Lira ter feito um duro discurso na abertura do ano legislativo,no dia 5 de fevereiro, em que cobrou o cumprimento de acordos firmados e elevou a tensão na queda de braço pelo controle das contas públicas ao dizer que a peça orçamentária "pertence a todos e não apenas ao Executivo".

Na noite desta quinta-feira, Lira mudou a linha, de acordo com os participantes da reunião. Também em tom de brincadeira, disse que estava com saudade de Lula e que, quando passa muitos dias sem falar com ele, fica nervoso. Mas tanto essa fala do presidente da Câmara como a referência feita por Lula ao discurso da abertura do ano legislativo, foram entendidas no Planalto como recados passados durante a reunião.

— (Lira passou mensagem) de compromisso, de que esse momento de ampliação de diálogo é realmente muito importante. Agradeceu ao líder Guimarães, que fez referência a ele. Falou do comportamento do presidente Lula. Foi algo bem importante — contou o líder do PSB, Gervásio Maia (PB).

Já Lula, segundo Gervásio, agradeceu ao desempenho da Câmara durante todo o ano de 2023 e disse que os resultados da economia foram fruto da relação do Executivo e do Legislativo. Também se comprometeu a estar mais próximo dos deputados.

— O presidente (Lula) disse que vai ter uma proximidade maior, vai dialogar mais, vai ser meio que uma rotina.

Além de Haddad e Padilha, participaram também os ministros Paulo Pimenta (Comunicação Social), Rui Costa (Casa Civil) e Luciana Santos (Ciência e Tecnologia). De acordo com uma lista divulgada pela Secretaria de Comunicação Social, a reunião teve um total de 25 participantes. Estiveram presentes representantes de todos os partidos com assento na Esplanada. Entre os líderes, compareceram, entre outros, Elmar Nascimento (União-BA), Antonio Brito (PSD-BA), Isnaldo Bulhões (MDB-AL), Dr. Luizinho (PP-RJ), Odair Cunha (PT-MG). Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), líder da maioria, também foi à residência oficial do presidente da República.

Após os discursos, se formaram rodinhas informais. Nesse momento, Lula conversou sobre a formação da bancada negra na Câmara com o deputado Damião Feliciano (União-PB) e discutiu a eleição deste ano em Recife com o prefeito da cidade, João Campos, que participou como representante do PSB. Haddad falou dos projetos da Fazenda e Rui Costa, da execução do orçamento.

No grupo de 25 presentes, apenas Gleisi e a ministra Luciana Santos eram mulheres. A primeira-dama Janja não participou.

Veja também

Foro privilegiado: entenda as mudanças definidas pelo STF
SUPREMO

Foro privilegiado: entenda as mudanças definidas pelo STF

Boulos diz que serviço funerário de SP virou 'mercado da morte' e promete rever concessão
DECLARAÇÃO

Boulos diz que serviço funerário de SP virou 'mercado da morte' e promete rever concessão

Newsletter