Política

Lula elogia 'reação do STF' após absolvição de Gleisi

"Pela primeira vez o STF reagiu claramente diante da indústria das delações em um caso concreto, desmoralizando o discurso e a prática da Lava Jato", escreveu Lula

O PT não pode mais veicular a propaganda eleitoral transmitida em rádio, em que Lula aparece como candidato                                  O PT não pode mais veicular a propaganda eleitoral transmitida em rádio, em que Lula aparece como candidato  - Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, em carta, que o Supremo Tribunal Federal (STF) "reagiu claramente à indústria de delações premiadas" ao absolver a senadora Gleisi Hoffmann (PR) da acusação de ter participado de um esquema de corrupção e lavagem de dinheiro desviado da Petrobras.

A carta foi lida nesta quarta (20) pela própria Gleisi durante reunião fechada das bancadas de deputados e senadores do PT, em Brasília. "Pela primeira vez o STF reagiu claramente diante da indústria das delações em um caso concreto, desmoralizando o discurso e a prática da Lava Jato", escreveu o ex-presidente de sua cela, em Curitiba.

Leia também:
Em ação sobre sítio, Lula será interrogado por Moro em setembro
Pedido de liberdade de Lula será julgado no dia 26 pelo STF


Lula chamou de "mentiras" e "notícias falsas" as acusações contra a senadora e disse que os procuradores "nunca levaram em conta os argumentos da defesa e as contradições entre os depoimentos dos delatores" que, segundo o petista, "mudavam de versão cada vez que suas mentiras eram derrubadas pelos fatos e pela investigação".

"Agora me pergunto: quem vai te pedir desculpa por quatro anos de acusações falsas", completa o ex-presidente. Gleisi foi recebida pelos correligionários com flores e música, e se emocionou ao ler a carta enviada a ela pelo ex-presidente.

Nesta terça (19), os ministros da segunda turma do STF entenderam que a Procuradoria-Geral da República (PGR) não conseguiu provar os crimes que foram imputados à senadora pelo ex-procurador-geral Rodrigo Janot. Eles criticaram a estrutura da denúncia, considerada com base apenas em delações de pessoas com interesses em fazer as acusações e que não apresentaram provas para corroborar os depoimentos.

A PGR ainda pode recorrer à turma. Gleisi ainda é alvo de três processos no Supremo, todos relacionados à Lava Jato: quadrilhão do PT, delação da Odebrecht e caso Consist (desvios no Ministério do Planejamento). Ela nega envolvimento em irregularidades.

Condenado em segunda instância pelo caso do tríplex de Guarujá (SP), Lula também enfrenta outros processos.

Nesta quarta, o juiz Sergio Moro marcou o interrogatório do ex-presidente no caso do sítio de Atibaia (SP). Lula será ouvido pelo juiz no dia 11 de setembro às 14h. Será a terceira vez que Lula será interrogado presencialmente pelo juiz. A primeira vez foi em maio de 2017 e a segunda em setembro passado.

Veja também

Partidos têm até dia 31 para pedir registro de federações partidárias
Eleições 2022

Partidos têm até dia 31 para pedir registro de federações partidárias

Lula reúne aliados para desatar nós e resistências em estados-chave
ELEIÇÕES 2022

Lula reúne aliados para desatar nós e resistências em estados-chave