Lula já usou jatinho de ex-ministro de quem é amigo mais de 15 vezes

A última delas foi na quarta-feira (10), para prestar depoimento ao juiz Sergio Moro, em Curitiba

Ex-presidente LulaEx-presidente Lula - Foto: Divulgação

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Walfrido dos Mares Guia, 74, acusado no mensalão mineiro, não se conheciam até 2003, quando o empresário foi nomeado ministro do Turismo no primeiro mandato do petista.

Desde então suas famílias construíram uma relação de amizade e confiança, o que permitiu a Lula tomar emprestado o avião Cessna Citation CJ3 de Mares Guia mais de 15 vezes desde 2013.

A última delas foi na quarta-feira (10), para prestar depoimento ao juiz Sergio Moro, em Curitiba. A reportagem não conseguiu contato com Mares Guia nesta quinta (11), mas o ex-ministro afirmou, no ano passado, que emprestava o jatinho como uma forma de "gentileza e amizade".

Na ocasião, em março de 2016, Lula foi a Brasília para reuniões com a ex-presidente Dilma Rousseff após ter sido impedido pelo STF (Supremo Tribunal Federal) de assumir a Casa Civil. À Folha de S.Paulo Mares Guia afirmou: "O avião é meu, empresto para quem desejo".

Mares Guia é uma das 87 testemunhas apontadas por Lula em uma das ações penais a que responde na Lava Jato. Segundo a assessoria do ex-ministro, ainda não houve notificação para o depoimento e, quando houver, ele avaliará a conveniência, pois está com viagem marcada.

Em 2007, no mesmo ano em que assumiu o posto de ministro das Relações Institucionais do governo Lula, Mares Guia renunciou após ter sido denunciado por participação no chamado mensalão mineiro. O esquema, operado pelo publicitário Marcos Valério, envolvia arrecadação de caixa dois para a campanha de Eduardo Azeredo (PSDB) ao governo de Minas em 1998.

Mares Guia nega ter relação com a campanha de Azeredo, de quem foi vice-governador entre 1995 e 1999. A denúncia por formação de quadrilha e peculato chegou a ser recebida pela Justiça, mas prescreveu em 2014 sem julgamento.
Como deputado federal pelo PTB, Mares Guia atuou na campanha de Ciro Gomes à Presidência em 2002. Depois do apoio a Lula no segundo turno, acabou ocupando a pasta do Turismo, reservada para seu partido.

O empresário iniciou a carreira pública como secretário municipal de Planejamento em Belo Horizonte no ano de 1983. Em 1991, assumiu a Secretaria de Educação de Minas Gerais e, em 1998, foi eleito deputado federal pelo PTB. A assessoria de imprensa de Mares Guia afirmou que sua vida política não começou no mensalão e que ele é um homem público digno.

EMPRESAS

O avião está registrado no nome da empresa Samos Participações, que Mares Guia constituiu para administrar suas ações em duas outras firmas no ramo da educação e da saúde.

Nos anos 1960, Mares Guia foi um dos fundadores do curso pré-vestibular Pitágoras, hoje uma rede de ensino que faz parte do conglomerado Kroton. O grupo fechou 2016 com quase 910 mil alunos de graduação e pós-graduação e mais 230 mil na educação básica.

Além de deter ações do grupo, o ex-ministro faz parte do Conselho de Administração da Kroton, que abriu capital na BM&F Bovespa em 2007. Na época, Walfrido ampliou seus bens em R$ 23,5 milhões (atualmente cerca de R$ 43 milhões) com o negócio.

No ano que vem, começará a operar em Nova Lima, região metropolitana de Belo Horizonte, a Biomm, empresa de biotecnologia aplicada à saúde que sucederá a Biobrás, produtora de insulina vendida em 2002. Mares Guia é conselheiro da empresa e detém 10% das ações. Outros 22% estão em nome do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento) e do BDMG (Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais).

Veja também

Popularidade de Bolsonaro cai em plena segunda onda da pandemia no Brasil
Política

Popularidade de Bolsonaro cai em plena segunda onda da pandemia no Brasil

Vereador quer assistência psicológica nas escolas municipais do Recife
BLOG DA FOLHA

Vereador quer assistência psicológica nas escolas municipais do Recife