Política cultural

Lula participa de abertura da Conferência Nacional de Cultura

Propostas aprovadas durante a conferência vão embasar as diretrizes do novo Plano Nacional de Cultura (PNC)

Presidente LulaPresidente Lula - Foto: Ricardo Stuckert / PR

O presidente Lula participa nesta segunda-feira (4)( da abertura da quarta Conferência Nacional de Cultura (CNC). Com o tema “Democracia e Direito à Cultura", o evento deve reunir mais de 3 mil participantes de todo o Brasil no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília.

O evento dura até a sexta-feira, 8, e irá debater políticas públicas culturais e definir orientações prioritárias para assegurar transversalidades nas ações do setor. As propostas aprovadas durante a CNC vão embasar as diretrizes do novo Plano Nacional de Cultura (PNC), que nortearão o ministério nos próximos 10 anos.

A conferência terá a participação de produtores culturais e da sociedade civil. Com adesão de todos os estados e Distrito Federal, as delegadas e delegados que participarão da etapa nacional do evento elegeram, nas fases estaduais e distrital, aproximadamente 140 propostas que serão debatidas entre 12 grupos de trabalho.

O último PNC, elaborado em 2014 e com prazo até dezembro, foi elaborado após a realização de fóruns, seminários e consultas públicas com a sociedade civil e, de 2005 em diante, sob a supervisão do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC). Com duração de uma década, o plano teve a sua vigência prorrogada duas vezes.

Em café com jornalistas nesta manhã, a ministra da Cultura, Margareth Menezes, afirmou que políticas culturais só deixarão de depender de gestões governamentais quando a sociedade reconhecer o tema como uma política de Estado. Menezes disse ainda que a pasta não consegue trabalhar sozinha enquanto parte da sociedade constrói “críticas constantes de desconstrução” ao setor.

Mais cedo, Lula anunciou um projeto de lei que regulamenta os serviços e garante direitos previdenciários a motoristas de aplicativos de plataformas.

Veja também

Mendonça declara que apoiar João Campos seria "rasgar sua história"
Recife

Mendonça declara que apoiar João Campos seria "rasgar sua história"

Em Marcha para Jesus, Nunes diz a fiéis paulistanos: "eu amo Jesus"
religião

Em Marcha para Jesus, Nunes diz a fiéis paulistanos: "eu amo Jesus"

Newsletter