Emoção

Lula se emociona ao saber que creche em MT receberá nome do neto que morreu em 2019

Arthur Lula da Silva morreu aos sete anos de infecção generalizada enquanto o presidente estava preso em Curitiba

Lula em visita a unidade habitacional no Mato GrossoLula em visita a unidade habitacional no Mato Grosso - Foto: Ricardo Stuckert/PR

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi às lágrimas nesta sexta-feira (3) ao saber que uma creche em Rondonópolis, Mato Grosso, receberá o nome de seu neto, Arthur Lula da Silva, que morreu em 2019 aos sete anos de idade. O anúncio foi feito pelo prefeito José Carlos Junqueira de Araújo, conhecido como José Carlos do Pátio, durante evento de entrega de unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida.

Ao citar obras que serão realizadas pelo município, o prefeito falou sobre a homenagem e elogiou o presidente:

— E na construção da creche, eu fui autorizado pela Dona Janja, a creche leva o nome do Arthur Lula da Silva. Eu não ia falar isso, não. Eu sei o que é a dor de um avô que sofreu, que estava lá, lá em Curitiba e teve que ver isso. Presidente Lula, você é forte, você é um cara muito importante para nós — afirmou José Carlos do Pátio.

 

 

Na época, o laudo hospitalar constatou que Arthur foi vítima de meningite meningocócica e morreu após ser levado ao Hospital Bartira, em Santo André (SP). Posteriormente, exames feitos no Instituto Adolfo Lutz descartaram a hipótese. A assessoria do Instituto Lula informou que a causa da morte foi uma infecção generalizada provocada pela bactéria Staphylococcus aureus, que costuma ser encontrada em infecções de pele.

Em 2019, o presidente estava preso na sede da Polícia Federal em Curitiba (PR) e recebeu autorização judicial para comparecer ao velório do neto.

Veja também

Prefeito de Vitória indica o filho para vice na chapa de Elias Gomes e se fortalece na RMR
FOLHA POLÍTICA

Prefeito de Vitória indica o filho para vice na chapa de Elias Gomes e se fortalece na RMR

Em investida do agro, pauta anti-MST ganha fôlego no Congresso e já tem 21 projetos em tramitação
POLÍTICA

Em investida do agro, pauta anti-MST ganha fôlego no Congresso e já tem 21 projetos em tramitação

Newsletter