Lula, uma vida de glórias e dramas que se confundem com a história do Brasil

A vida do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é marcada por reviravoltas imprevisíveis

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da SilvaEx-presidente Luiz Inácio Lula da Silva - Foto: Marlene Bergamo/Folhapress

A vida do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é marcada por reviravoltas imprevisíveis que costumam se confundir com as da história do Brasil.

- 27 outubro de 1945: Nasce em uma família de agricultores pobres do nordeste, que emigra quando ele tinha 7 anos para o estado de São Paulo para tentar escapar da fome.

- 1975: Presidente do sindicato de metalúrgicos, setor onde trabalha desde os 14 anos.

- 1978-80: Lidera grandes greves no ABC paulista em plena ditadura (1964-1985) e é preso por um mês por seu papel no sindicato.

- 1980: Participa da fundação do Partido dos Trabalhadores (PT) e ajuda a criar a Central Única de Trabalhadores (CUT), que se torna a maior federação operária do Brasil.

Leia também:
Juiz autoriza soltura de Lula após decisão do Supremo
Lula solto deve ter reforço de segurança, ato simbólico e estratégia sobre Bolsonaro
TRF4 julga no fim do mês recurso de Lula em caso de sítio de Atibaia
Após reunião com Lula, advogado pede soltura de petista à Justiça Federal


- 1º de janeiro de 2003: Primeiro presidente brasileiro de origem operária. Reeleito em 2006, termina seu mandato em 2010 com mais de 80% de aprovação. Graças a seus programas sociais, 29 milhões de brasileiros saem da miséria, apesar de o país continua sendo muito desigual.

- 2005: a direção do PT é dissolvida depois do escândalo do "Mensalão".

- 4 de março de 2016: o juiz Sergio Moro ordena a condução coercitiva de Lula para prestar depoimento no marco da operação Lava Jato.

- 12 julho de 2017: Moro o condena a nove anos e meio de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, como beneficiário de um apartamento no balneário paulista do Guarujá oferecido pela construtora OAS em troca de sua mediação para obter contratos na Petrobras.

- Janeiro de 2018: Um tribunal de segunda instância (TRF4) eleva a pena a 12 anos e um mês de prisão.

- 7 de abril de 2018: Dois dias depois que Moro ordenar sua prisão, Lula se entrega à polícia no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo e começa a cumprir sua sentença em Curitiba (sul).

- 31 de agosto de 2018: O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) invalida sua candidatura para as eleições presidenciais de outubro. No dia 11 de setembro, Lula é substituído por Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo, como candidato do PT. Haddad é derrotado no segundo turno por Jair Bolsonaro.

- 23 de abril de 2019: O Superior Tribunal de Justiça (STJ, terceira instância) confirma o veredito contra Lula, mas reduz sua pena para 8 anos e 10 meses de prisão.

- 7 de novembro de 2019: O Supremo Tribunal Federal (STF) decide, por 6 votos a 5, que ninguém pode ser preso antes de esgotar os recursos nas quatro instâncias judiciais existentes no Brasil. Essa decisão abre caminho para a libertação iminente de Lula e ao exame da situação judicial de cerca de 5.000 pessoas, incluindo cerca de 40 implicados em casos investigados pela Operação Lava Jato.

Veja também

Mesários de 23 estados receberão auxílio por aplicativo do BB
Eleições 2020

Mesários de 23 estados receberão auxílio por aplicativo do BB

Procuradoria pede justificativa para cancelamento da compra da Coronavac por Bolsonaro
Coronavírus

Procuradoria pede justificativa para cancelamento da compra da Coronavac por Bolsonaro