Luto

Mãe de Bolsonaro é enterrada no interior de São Paulo

Olinda Bolsonaro morreu na madrugada desta sexta

Velório da mãe de BolsonaroVelório da mãe de Bolsonaro - Foto: reprodução/G1 Santos

O corpo de Olinda Bonturi Bolsonaro, de 94 anos, mãe do presidente Jair Bolsonaro, foi enterrado às 17h desta sexta-feira (21) no Cemitério Municipal da cidade de Eldorado, no interior de São Paulo, onde ela morava. Bolsonaro acompanhou a cerimônia ao lado dos filhos Flávio e Renan, e da mulher Michelle.

Olinda BolsonaroMãe de Bolsonaro em foto de arquivo

Olinda foi enterrada no mesmo jazigo onde está seu ex-marido, Percy Geraldo Bolsonaro. O presidente chegou por volta de 15h ao velório, iniciado às 10h15 no Salão Paroquial da cidade, ao lado da Igreja matriz.

Ele permaneceu no local por cerca de uma hora e meia. O corpo deixou o local às 16h30 em um carro funerário. Bolsonaro fez o trajeto de 600 metros a pé e não conversou com a imprensa. O enterro foi restrito a familiares e amigos.
 

Bolsonaro comunicou o falecimento de sua mãe pela manhã em suas redes sociais: "Com pesar o passamento da minha querida mãe. Que Deus a acolha em sua infinita bondade", postou no Twitter.

Na postagem, Bolsonaro publicou, ainda, um vídeo com imagens de família, na companhia da mãe, que estava internada desde a segunda-feira, no Hospital São João, em Registro, interior de São Paulo.

 

Segundo o portal g1, ela foi hospitalizada depois de apresentar sinais de desidratação e ter sido diagnosticada com infecção urinária.

Na quarta-feira, a mãe do presidente chegou a apresentar uma melhora, mas na madrugada do dia seguinte teve uma broncoaspiração enquanto dormia e um dos pulmões ficou comprometido.

Na madrugada desta sexta-feira, Olinda sofreu duas paradas cardiorrespiratórias, e não resistiu.

Veja também

Câmara rejeita emenda de bolsonaristas para liberar homeschooling a filhos de pais com ensino médio
Homeschooling

Câmara rejeita emenda de bolsonaristas para liberar homeschooling a filhos de pais com ensino médio

Compromisso com a democracia não se faz sem respeito ao Judiciário, diz Pacheco
SENADO

Compromisso com a democracia não se faz sem respeito ao Judiciário, diz Pacheco