Política

Maia articula vitória no primeiro turno

O deputado estará no Recife, nesta sexta-feira (6), para um almoço com deputados pernambucanos

  Movimento recebeu o Prêmio Resistência nas Artes e comemorou lei que o declara de Utilidade Pública Movimento recebeu o Prêmio Resistência nas Artes e comemorou lei que o declara de Utilidade Pública - Foto: Divulgação

 

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), conquistou o apoio de alas significativas do chamado “centrão”, e agora trabalha para tentar selar sua reeleição ao comando da Casa já no primeiro turno da disputa, que ocorre dia 2 de fevereiro. Em plena articulação para angariar apoios, apesar de dizer que a ideia de sua candidatura ainda está “amadurecendo”, o deputado estará hoje, no Recife, para um almoço com a bancada de parlamentares pernambucanos.

Aliança informal de partidos médios, o “centrão” reúne cerca de 250 deputados, mas que nem sempre atuam de forma unida. Maia, que ainda não oficializou a candidatura numa tentativa de minimizar os ataques rivais, já conta com a preferência de partidos como o PSDB e o PMDB. Esta semana, ele recebeu, ainda, sinais de que terá a maioria dos votos em siglas como o PSD, o PR, o PRB e o PSB.

Neste cenário, o aceno de siglas do centrão fragiliza o pleito de dois de seus principais adversários, o deputado Rogério Rosso (PSD-DF) e Jovair Arantes (PTB-GO). Ambos integram o grupo e contavam com votos das legendas que sinalizam a Maia para crescer na disputa. Rosso, que também visitará o Recife na próxima segunda-feira, quando se reunirá com o governador Paulo Câmara, não tem apoio majoritário dentro de seu próprio partido, segundo integrantes do PSD. No início, o centrão tentou gestar candidatura única, mas não chegou a consenso.

A Constituição e o regimento da Câmara vedam a reeleição do presidente na mesma legislatura, mas Maia trabalha com a tese de que a regra não se aplica a quem se elegeu para mandato tampão -caso dele, que assumiu após a renúncia de Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Sua tese tem ganhado força por três motivos. Primeiro, o deputado vem atuando de maneira ostensiva nos bastidores, negociando espaços na Mesa Diretora e em comissões da Casa junto a aliados.

Há ainda a sensação de que o Palácio do Planalto tem preferência por sua candidatura - integrantes do PR dizem ter recebido sinal verde de aliados de Temer para embarcarem na canoa de Maia. Por fim, há a aposta de que o Supremo Tribunal Federal (STF) optará por não intervir em uma decisão tomada pela Câmara.

Para liquidar a fatura no primeiro turno, Maia agora trabalha para reeditar a parceria com setores da oposição que lhe deram a vitória para o mandato tampão no ano passado. Na ocasião, ele se elegeu com o apoio de parte do PT e do PCdoB. Nos desenhos feitos por seus aliados, o PMDB ficaria com a primeira vice-presidência. O PP, com a segunda vice. A primeira-secretaria seria dada ao PR, enquanto a segunda ficaria com PT. Se o PT não embarcar na candidatura, o que decide no próximo dia 17, a vaga pode ser oferecida ao PSB. PSDB e PSD receberiam as terceira e quarta secretarias.

Almoço
O encontro de hoje entre Rodrigo Maia e a bancada de deputados pernambucanos acontecerá às 13h, no empresarial JCPM, no Pina. Já estão programadas também viagens a Natal (RN) e Maceió (AL).

 

Veja também

Caso Marielle: delegado alega falta de provas contra ele em novo pedido a Moraes para deixar prisão
investigação

Caso Marielle: delegado alega falta de provas contra ele em novo pedido a Moraes para deixar prisão

"Quanto mais impunes, mais ousados", diz Marcelo Freixo sobre plano para matá-lo com tiro de sniper
depoimento

"Quanto mais impunes, mais ousados", diz Marcelo Freixo sobre plano para matá-lo com tiro de sniper

Newsletter