Maia diz que vai dar seguimento à decisão do STF de cassar Maluf

O deputado está preso desde dezembro do ano passado e, recentemente, teve negado o pedido de prisão domiciliar

O deputado federal Paulo Maluf foi condenado pelo crime de lavagem de dinheiroO deputado federal Paulo Maluf foi condenado pelo crime de lavagem de dinheiro - Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil/arquivo

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que vai dar seguimento à determinação do STF (Supremo Tribunal Federal) de cassar o mandato do deputado Paulo Maluf (PP-SP), preso desde dezembro do ano passado. Maia afirmou, no entanto, que paralelamente a isso levará ao Supremo um questionamento para que a corte defina se esse tipo de caso tem de ter o aval do plenário da Casa ou pode ser definido pela Mesa Diretora, que é formada por apenas 7 dos 513 deputados.

Desde que foi preso, Maluf teve benefícios de parlamentar cortados. A Câmara pediu, inclusive, para que ele devolvesse o apartamento funcional onde morava. Em maio, o deputado do PP foi condenado pela primeira turma do STF a sete anos, nove meses e dez dias de prisão em regime fechado por crimes de lavagem de dinheiro.

Leia também:
Juiz nega prisão domiciliar a Paulo Maluf
Maluf começa a cumprir pena na Papuda, em Brasília


Em dezembro, o ministro Edson Fachin determinou que o deputado começasse a cumprir pena em regime fechado. Ele se entregou à Polícia Federal no dia 20 de dezembro. Atualmente, 3 dos 513 deputados estão cumprindo prisão: além de Maluf, Celso Jacob (MDB-RJ) e João Rodrigues (SD-SC).

Maia já havia dado declarações sobre o assunto, dizendo ser a favor de que a decisão de cassação tenha de passar pelo plenário da Câmara.

Veja também

MP aumenta limite de gastos com cartão corporativo para pagar serviços sem licitação na pandemia
Gastos

MP aumenta limite de gastos com cartão corporativo para pagar serviços sem licitação na pandemia

Paulo Skaf, que se reuniu com Bolsonaro, está com Covid-19
Bolsonaro

Paulo Skaf, que se reuniu com Bolsonaro, está com Covid-19