Maia manobra para acomodar aliados na Mesa e oposição diz que irá ao STF

Sem a decisão, o bloco de centro ficaria com 94 deputados, três a menos que o formado por PT, PSB, PSOL e Rede

Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo MaiaPresidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia - Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), fez uma manobra que permitiu que o bloco encabeçado por seus aliados PDT e PC do B obtivesse uma vaga na Mesa Diretora, isolando o grupo de PT e PSB.

Os partidos da oposição entrarão com questão de ordem contra decisão de Maia que permitiu que fusões de siglas ainda não homologadas no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) fossem utilizadas para aumentar o número de deputados no bloco do PDT.

Sem a decisão, o bloco de centro ficaria com 94 deputados, três a menos que o formado por PT, PSB, PSOL e Rede. Com isso, este último teria direito à vaga de titular na Mesa Diretora, além de poder ocupar os espaços de líder da oposição e da minoria, que dão direito a tempo de fala em plenário.

Segundo o líder do PSOL, Ivan Valente (SP), caso a decisão não seja revertida por questão de ordem, ou seja, por uma decisão do próprio Maia em plenário, os partidos levarão o caso para o STF (Supremo Tribunal Federal).

"Ele não pode agir como o TSE, isso é uma manobra que não pode ser aceita", afirmou.

Veja também

Candidato de Bolsonaro na Câmara, Lira deve ser recebido por Covas em SP
Política

Candidato de Bolsonaro na Câmara, Lira deve ser recebido por Covas em SP

Pazuello faz reunião com embaixador da China para discutir crise das vacinas
Vacinas

Pazuello faz reunião com embaixador da China