Marcelo Crivella manda censurar gibis dos Vingadores na Bienal do Livro, no Rio

Segundo a organização, após a postagem, a prefeitura mandou uma notificação extrajudicial para a Bienal, na qual não é pedido o recolhimento, mas que os livros fossem lacrados e viessem com uma classificação indicativa

Cena do quadrinho de VingadoresCena do quadrinho de Vingadores - Foto: Reprodução

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), anunciou em postagem nas redes sociais que mandou censurar exemplares do gibi "Vingadores - A Cruzada das Crianças", expostos na Bienal do Livro.

"A Prefeitura do Rio de Janeiro determinou que os organizadores da Bienal do Livro recolhessem esse livro [Vingadores - A Cruzada das Crianças], que traz conteúdo sexual para menores", disse Crivella, em vídeo. O gibi traz imagens de dois rapazes trocando carícias e se beijando, completamente vestidos.

Segundo a organização, após a postagem, a prefeitura mandou uma notificação extrajudicial para a Bienal, na qual não é pedido o recolhimento, mas que os livros fossem lacrados e viessem com uma classificação indicativa ou aviso de que há material ou cenas proibidas para menores de idade.

Leia também:
Marvel divulga making off com efeitos especiais de 'Vingadores: Ultimato'
Sob risco de impeachment, Crivella enfrenta 'camarotegate'

"Livros assim precisam estar embalados em plásticos preto lacrado e, do lado de fora, avisando o conteúdo. Portanto, a Prefeitura do Rio de Janeiro está protegendo os menores da nossa cidade", disse no vídeo o prefeito.

A organização da Bienal afirmou que não irá recolher nem embalar nenhum livro, pois o conteúdo não é impróprio e nem pornográfico.

Em nota, a Bienal ainda disse que "dá voz a todos os públicos, sem distinção, como uma democracia deve ser. Este é um festival plural, onde todos são bem-vindos e estão representados. Inclusive, no próximo fim de semana, a Bienal do Livro terá dois painéis para debater a literatura Trans e LGBTQA+".

Sobre o conteúdo, a organização do evento diz que se qualquer pessoa que se sentir ofendida, ou não gostar do material, tem todo o direito de trocar o livro.

O Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) enviou nota à imprensa informando que repudia toda e qualquer forma de censura e restrições à livre manifestação cultural. "Dessa forma, recebemos com indignação a tentativa de restringir a venda de alguns livros e revistas durante a XIX Bienal Internacional do Livro - Rio, evento que é, há 38 anos anos, uma das mais importantes manifestações culturais do país, promovendo a leitura, debate e a construção de uma sociedade justa e democrática. Mas para haver democracia, é imprescindível o diálogo, tolerância e o respeito à produção intelectual dos editores e autores em nosso país", diz a nota.

Veja também

Grupo de senadores tenta barrar sabatinas de embaixadores em resposta a Ernesto
Senado

Grupo de senadores tenta barrar sabatinas de embaixadores em resposta a Ernesto

Caruaru terá consolidação de novas lideranças em 2020
Edmar Lyra

Caruaru terá consolidação de novas lideranças em 2020