Marcelo Odebrecht sai da prisão domiciliar e visita sede da empresa

Marcelo cumprimentou algumas pessoas e foi aplaudido por funcionários. Ele percorreu vários andares do prédio localizado na marginal Pinheiros

Marcelo OdebrechtMarcelo Odebrecht - Foto: Cicero Rodrigues / World Economic Forum

O empresário Marcelo Odebrecht, herdeiro do grupo que leva seu sobrenome, conseguiu a progressão do regime e não está mais cumprindo prisão domiciliar. Nesta quinta (12), o empreiteiro pode deixar sua casa, onde estava preso desde dezembro de 2017, quando deixou a Custódia da Polícia Federal, em Curitiba.

Uma das primeiras coisas feitas pelo empreiteiro ao conquistar a progressão foi visitar a sede da empresa, em São Paulo. Marcelo cumprimentou algumas pessoas e foi aplaudido por funcionários. Ele percorreu vários andares do prédio localizado na marginal Pinheiros.

Marcelo teria que cumprir o regime de prisão domiciliar até junho de 2020, mas conquistou a progressão após como benefício da "cláusula de eficiência", que estava prevista em seu acordo.

Leia também:
Após decisão de Gilmar, juiz da Lava Jato solta cunhado de Marcelo Odebrecht
Supremo nega pedido de Lula para anular perícia em sistemas da Odebrecht


Por esse instrumento, caso Marcelo conseguisse provar com novas evidências o que disse à Justiça, ele poderia reduzir seu período de prisão domiciliar.

E foi o que aconteceu. Assim que deixou a prisão em Curitiba, o empreiteiro passou a dedicar muitas horas do seu dia para analisar emails antigos. Foram milhares de mensagens que ele enviou para o Ministério Público Federal.

Marcelo foi preso no dia 19 de junho de 2015. Ele estava em sua casa, no Morumbi (região oeste de São Paulo).

Setenta e oito executivos da Odebrecht fecharam colaboração com as autoridades. A empreiteira foi uma das principais empresas envolvidas no esquema de corrupção na Petrobras investigado pela Lava Jato.

Veja também

Bolsonaro manifesta solidariedade às vítimas de explosão no Líbano
Bolsonaro

Bolsonaro manifesta solidariedade às vítimas de explosão no Líbano

Ausências emitem sinais de dificuldades na oposição
CARLOS BRITTO

Ausências emitem sinais de dificuldades na oposição