Marco Aurélio diz que penitenciárias são panela de pressão e que indulto é tradição

Recuo de Michel Temer sobre publicação do indulto teria ocorrido após pedido da Defensoria Pública da União (DPU)

Presidente Michel Temer e o ministro do STF Marco AurélioPresidente Michel Temer e o ministro do STF Marco Aurélio - Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse nesta quarta-feira (26) que o indulto de Natal é uma tradição e comparou as penitenciárias brasileiras a panelas de pressão. Um dia depois de o Palácio do Planalto divulgar oficialmente que o presidente Michel Temer não editaria indulto de Natal este ano, assessores confirmam na noite desta terça-feira (25) que ele estuda publicar um texto nos próximos dias.

"O indulto é uma tradição no Brasil e não sei porque não concluímos o julgamento da Adin [ação direta de inconstitucionalidade] que impugnou o anterior, de 2017. Agora, precisamos pensar nas verdadeiras panelas de pressão que são as penitenciárias brasileiras", disse Marco Aurélio ao ser abordado por jornalistas na saída do velório do advogado e ex-deputado Sigmaringa Seixas, em Brasília.

De acordo com informações colhidas pela Folha, o recuo de Temer teria ocorrido após pedido encaminhado ao presidente pela Defensoria Pública da União (DPU).

Leia também:
Michel Temer não concederá indulto de Natal
Sem decisão do STF, Temer considera não editar indulto natalino neste ano
Bolsonaro reforça que não dará indulto na Presidência
Fux pede vista de julgamento sobre indulto natalino de 2017


Segundo assessores palacianos, a proposta é que o texto não beneficie os condenados por crimes de corrupção, como ocorreu no texto de 2017, que gerou questionamentos na Justiça. "A hipótese está sob exame", limitou-se a dizer o ministro da Justiça Torquato Jardim.

Veja também

Esboço de MP dá poderes a grupo interministerial para decidir sobre vazão de rios e abre espaço para
Medida

Esboço de MP dá poderes a grupo interministerial para decidir sobre vazão de rios e abre espaço para

Remoção de seguidores de bolsonaristas no Twitter vira combustível para decreto que controla redes
Internet

Remoção de seguidores de bolsonaristas no Twitter vira combustível para decreto que controla redes