Marina Silva diz que 'nenhum perigo real ou imaginado' pode ameaçar democracia

Marina reafirmou sua posição de que o STF deve prezar pelo 'princípio republicano da igualdade de todos perante a lei'

Marina SilvaMarina Silva - Foto: Reprodução/internet

A pré-candidata à Presidência Marina Silva (Rede) afirmou nesta quarta-feira (4) que a declaração do general Eduardo Villas Bôas "pode levar a interpretações inadequadas para o bom funcionamento da democracia e das instituições".

O comandante do Exército manifestou nesta terça-feira (3), às vésperas do julgamento do caso de Lula no Supremo, repúdio à impunidade e disse que a instituição está atenta às suas missões institucionais.

Leia também:
Na véspera de julgamento sobre Lula, comandante do Exército diz repudiar impunidade
A horas do julgamento, Lula manifesta preocupação com Forças Armadas
Alepe: Comissão aprova voto de protesto contra declarações de General


"Reitero meu compromisso em defesa da liberdade e da democracia. Nenhum perigo real ou imaginado pode justificar que isso seja roubado dos brasileiros", disse a ex-senadora em uma rede social.

Marina reafirmou sua posição de que o STF deve prezar pelo "princípio republicano da igualdade de todos perante a lei". Ela costuma dizer que não pode haver dois pesos e duas medidas para a Justiça.

Veja também

Bolsonaro multiplica por 10 número de militares no comando de estatais
Política

Bolsonaro multiplica por 10 número de militares no comando de estatais

Israel quer teste de spray contra Covid no Brasil porque país é miscigenado, diz Eduardo Bolsonaro
Coronavírus

Israel quer teste de spray contra Covid no Brasil porque país é miscigenado, diz Eduardo Bolsonaro