MBL é condenado pelo TRE por publicar notícia falsa sobre Jaques Wagner

Além do MBL, o candidato a deputado Kim Kataguiri (DEM) e o vereador Fernado Holiday (DEM) foram condenados na mesma ação por republicarem a postagem feita nas redes sociais.

Líder do MBL, Kim KataguiriLíder do MBL, Kim Kataguiri - Foto: Joel Silva / Folhapress

O Movimento Brasil Livre (MBL) foi condenado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) da Bahia a publicar em suas redes sociais resposta do candidato ao Senado Jaques Wagner (PT). A decisão da justiça foi motivada por um vídeo postado nas redes sociais que mostra pessoas protestando contra petistas, que faziam ato em favor do ex-presidente Lula, em um shopping da capital baiana.

Em suas redes sociais, o MBL deu a entender que os protestos e críticas tinham Jaques Wagner como alvo. Wagner, no entanto, não participou do ato.

Leia também:
Facebook retira rede de páginas e perfis do ar e atinge MBL
MBL pede ao TSE que Lula seja considerado inelegível


Além do MBL, o candidato a deputado Kim Kataguiri (DEM) e o vereador Fernado Holiday (DEM) foram condenados na mesma ação por republicarem a postagem feita nas redes sociais. Em sua sentença, a desembargadora Gardênia Pereira justifica a decisão alegando que as informações divulgadas pelo MBL no vídeo são falsas. "A crítica amparada em fatos e opiniões reais, é parte da disputa democrática. No entanto, quando o ponto de vista ao público exposto destoa dessas balizas, compete ao Poder Judiciário, quando provocado, reparar os danos eventualmente causados às partes".

Éden Valadares, coordenador da campanha de Wagner ao Senado, diz que o MBL mentiu e o TRE fez justiça: "Esperamos que eles aprendam a lição". Após a repercussão negativa, o MBL apagou o vídeo de suas redes sociais.

Veja também

Gilmar suspende inquérito contra desembargador que deu carteirada para não usar máscara
STF

Gilmar suspende inquérito contra desembargador que deu carteirada para não usar máscara

Governo desrespeita prazos, e Lewandowski cobra planos para Manaus e vacinação
Pandemia

Governo desrespeita prazos, e Lewandowski cobra planos para Manaus e vacinação