Meirelles e FHC pedem apoio à PEC

Meirelles comentou sobre a possibilidade do teto, caso violado, inibir o aumento real do salário mínimo, hoje em R$ 880.

Humberto Costa garante que fará oposição dura, mas propositiva a Michel TemerHumberto Costa garante que fará oposição dura, mas propositiva a Michel Temer - Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT

 

Se a PEC do teto de gastos públicos não fosse aprovada, o Brasil poderia ter de enfrentar alternativas “mui­to mais sérias e muito piores”, como a alta de impostos. Este foi o diagnóstico dado desde segunda-feira (11), antes da aprovação da matéria na Câmara, pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que está em Nova York para uma série de reuniões com investidores. Da mesma for­ma, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (FHC) saiu em defesa da medida.
Meirelles comentou sobre a possibilidade do teto, caso violado, inibir o aumento real do salário mínimo, hoje em R$ 880. “A violação do teto é outro problema. Caso seja violado pelo Executivo, existem diversas restrições, e uma delas é que o salário mínimo naquele período não pode ser elevado acima da inflação”, explicou.
Em vídeo, Fernando Henrique destacou que “há momentos em que se tem que dizer sim ou não”. “Se não houver essa recomposição, não vai haver emprego, não vai haver crescimento, as pessoas vão sofrer”, justificou.

 

Veja também

Chilenos pausam protestos e vão às urnas em massa em plebiscito histórico
Plebiscito

Chilenos pausam protestos e vão às urnas em massa em plebiscito histórico

Ministério Público investiga obras de estradas do governo Doria
Justiça

Ministério Público investiga obras de estradas do governo Doria