A-A+

Meirelles ganhou R$ 215 mi fora do país antes de virar ministro, diz site

Rendimentos registrados em 2015 se referem a serviços prestados ao longo de quatro anos para várias empresas

Henrique Meirelles, Ministro da FazendaHenrique Meirelles, Ministro da Fazenda - Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, recebeu mais de R$ 215 milhões em pagamentos no exterior por serviços prestados como consultor de empresas antes de assumir o ministério, de acordo com reportagem do site "BuzzFeed" publicada nesta quarta-feira (26).

Documentos encontrados pelo site na Junta Comercial do Estado de São Paulo indicam que Meirelles recebeu pelo menos R$ 167 milhões em fevereiro do ano passado, três meses antes de assumir a pasta, e outros R$ 50 milhões em setembro.

Entre os clientes que Meirelles teve antes de entrar no governo estiveram o grupo J&F, controlado pelos irmãos Joesley e Wesley Batista, o fundo de investimentos americano KKR e o grupo financeiro Lazard.

Em resposta aos questionamentos do site e nota de sua assessoria de imprensa, Meirelles afirmou que os pagamentos foram feitos no exterior por conveniência dos seus clientes, todos empresas com atividades globais.

Ainda de acordo com o ministro, os rendimentos que recebeu de sua empresa de consultoria em 2016 se referem a serviços prestados ao longo de quatro anos para vários clientes, em projetos de duração variável que foram concluídos em 2015.

Meirelles, que presidiu o Banco Central de 2003 a 2010, trabalhou como consultor de empresas de 2011 até assumir o Ministério da Fazenda, no ano passado. O ministro informou que o dinheiro que ganhou antes de voltar ao governo é administrado por um gestor independente sem sua interferência, por meio de um veículo de investimentos conhecido no mercado financeiro como "blind trust".

Após assumir o ministério, Meirelles mudou a natureza de sua empresa, que deixou de atuar como consultoria e passou a ser a administradora de seus bens.
Os pagamentos, de acordo com o ministro, foram informados ao fisco na declaração anual do Imposto de Renda e refletem um "padrão de rendimentos consistente com sua experiência".

A nota observa que sua atuação à frente do Banco Original, do grupo J&F, é notória. "É fato público que o ministro orientou a construção da plataforma digital do Banco Original", diz.

Experiência
"O ministro foi presidente de uma grande instituição global e manteve o padrão de rendimentos consistente com sua experiência", afirmou a nota da Fazenda, referindo-se à carreira de Meirelles como executivo do antigo BankBoston.

A assessoria do ministro não revelou quanto ele recebeu exatamente de cada cliente. Apenas apontou, em linhas gerais, quais foram os serviços que ele prestou. Com o Lazard, o contrato previa orientação para expansão da companhia no continente americano. No KKR, Meirelles teria ajudado a organizar a implantação da empresa no Brasil.

Meirelles informou a Comissão de Ética Pública da Presidência da República sobre os lucros de suas atividades privadas e a gestão do seu patrimônio no ano passado. A comissão informou nesta quarta que considerou regulares as operações.

Veja também

Bolsonaro vira 'criminoso climático' em ação nas ruas de NY antes de Assembleia da ONU
ONU

Bolsonaro vira 'criminoso climático' em ação nas ruas de NY antes de Assembleia da ONU

Sindicato acusa Prevent Senior de forçar médicos a falar que receitaram cloroquina por conta própria
CPI

Sindicato acusa Prevent Senior de forçar médicos a falar que receitaram cloroquina por conta própria