RESPOSTA

Mendonça Filho nega irregularidade em doações

A doação da Camargo Corrêa para a campanha de Mendonça Filho a prefeito do Recife em 2008

Apesar dos encontros terem caráter político, as táticas eleitorais de cada partido não estão em discussão neste momento. Apesar dos encontros terem caráter político, as táticas eleitorais de cada partido não estão em discussão neste momento.  - Foto: Divulgação

 

Faltando duas semanas para o fim do recesso do Congresso, a expectativa de uma nova delação premiada no âmbito da Lava Jato volta a despertar receio na cena política. Em sua última edição, na semana passada, a revista Veja publicou uma reportagem na qual se fala da possibilidade de 40 funcionários da empreiteira Camargo Corrêa firmarem um acordo de delação que poderia resultar na denúncia de cerca de 200 políticos.

A publicação também traz a possibilidade da delação corroborar dados relativos à Operação Castelo de Areia, que em 2009 trouxe indícios de corrupção envolvendo a empreiteira e políticos. Entretanto, a operação foi anulada pelo Supremo Tribunal Federal por uso de provas ilegais.

Citado na matéria, o ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), publicou nota, no final de semana, enfatizando que as doações que recebeu da construtora por ocasião de sua participação na disputa pela Prefeitura do Recife, em 2008, foram feitas dentro da legalidade. “A doação da Camargo Corrêa para a campanha de Mendonça Filho a prefeito do Recife em 2008 foi feita legalmente para o Democratas Nacional e transferida para a conta da campanha municipal do Recife”, diz o texto.

 

Veja também

MDB será alvo de novo embate pelo comando da sigla
Edmar Lyra

MDB será alvo de novo embate pelo comando da sigla

Ala do PSB resiste à recomposição e vê Miguel Coelho como melhor adversário
Folha Política

Ala do PSB resiste à recomposição e vê Miguel Coelho como melhor adversário