Mendonça não descarta atrair Solidariedade e PP

Nos bastidores, corre que o PR estaria em tratativas alinhadas com o PP

Mendonça Filho e Armando Monteiro Mendonça Filho e Armando Monteiro  - Foto: Divulgação

Não foi sem que o presidente estadual do PP, Eduardo da Fonte, soubesse que o deputado federal Marinaldo Rosendo e o vereador Romero Albuquerque, marcaram presença, ontem, no ato da oposição, quando foram lançados os nomes do senador Armando Monteiro Neto para disputar o Governo do Estado e o de Mendonça Filho para concorrer ao Senado. "Fui representando o PP.
Eu jamais ia participar de um evento daquele sem aprovação do presidente do PP. Teve conversa antes para eu participar, porque eu não sou Paulo Câmara", registra Marinaldo à coluna. E sublinha: "Porque o PP, hoje, ainda está coligado ao Governo do Estado". Marinaldo admite apoiar Mendonça para o Senado e torce para que Eduardo da Fonte dispute também uma vaga na Casa Alta. Além do apoio de Marinaldo, Mendonça conta ainda com o de Romero Albuquerque, além de ter assegurado ainda o voto do presidente estadual do Solidariedade, Augusto Coutinho. Ontem, indagado se esses apoios poderiam ser um caminho para atrair o PP e o SD para o grupo das oposições, Mendonça não descartou. "Tem uma tese, que não é uma incumbência, uma responsabilidade minha. Acho que é uma missão nossa. Armando tem dialogado com vários partidos. E também não vou revelar aqui as conversas, tratativas. O canal está aberto", assinalou o democrata durante entrevista à CBN ontem. E completou: "Há claramente o sentimento de mudança. Ele está tomando conta do Estado e aquilo que é uma certa pressão da opinião pública está mobilizando os partidos políticos". Eduardo da Fonte, à coluna, diz que tinha ciência de que os progressistas estariam no ato do Pernambuco Quer Mudar. Mas adverte: "Todos os membros do PP em Pernambuco irão votar nos candidatos escolhidos pela executiva estadual na reunião de julho". Nos bastidores, corre que o PR, do secretário Sebastião Oliveira, estaria em tratativas alinhadas com o PP, o que lançaria PP, PR e SD no raio de atração dos oposicionistas.

Chamado ao Palácio
Em meio aos rumores de que PP e PR, que já articularam chapa conjunta para a disputa pela Alepe, estariam em tratativas alinhadas que poderiam resultar em composição com oposicionistas, o secretário de Transportes e presidente do PR em Pernambuco, Sebastião Oliveira, foi à mesa com o governador Paulo Câmara, ontem, no Palácio das Princesas.

Contenção > Segundo palacianos, a conversa entre Paulo e Sebastião teria a ver com "contenção de despesas". Mas ela se dá quando circula, nas coxias, que o republicano estaria disposto a ocupar a vice na chapa majoritária, entre acenos da oposição.

Portas > Ainda sobre progressistas terem marcado presença no ato da oposição e sobre chances de diálogo, Eduardo da Fonte crava: "Não tem porta fechada, nem porta aberta. Não tem conversa no presente momento. Isso não quer dizer que não venha a ter".

Novela > Enquanto as costuras se desenrolam no Estado, Antônio Figueira embarcou para Brasília, ontem, onde teria, segundo socialistas, reunião com o presidente do PSB, Carlos Siqueira, e contemplaria, na pauta, a aliança com o PT.

Dianteira > Após pesquisa Datafolha em que Marina Silva, sem a presença de Lula, em simulação de 2º turno, venceria Jair Bolsonaro, Ciro Gomes e Geraldo Alckmin, Roberto Leandro, que integra a direção da Rede, avalia o momento como "muito positivo". Mas pondera o volume altos de brancos e nulos.

Marina em PE > "É uma preocupação da Rede. Estamos buscando dialogar com esse segmento", diz Roberto Leandro. Marina desembarca, amanhã, em Pernambuco e fica até a quinta .

Veja também

Ruralista que assume o Ministério do Meio Ambiente, conheça Joaquim Álvaro Pereira Leite
Governo

Ruralista que assume o Ministério do Meio Ambiente, conheça Joaquim Álvaro Pereira Leite

Supremo confirma decisão que declarou Moro parcial em caso de Lula
Parcialidade

Supremo confirma decisão que declarou Moro parcial em caso de Lula