Menos aceno e mais agenda institucional

“Se for assim, o governo está fazendo gesto para Raquel também?”, indaga uma fonte em reserva

O Pernambuco em Ação deveria ter chegado ao Sertão do São Francisco ainda no início de junho. A agenda foi suspensa em função das enchentes que atingiram o Estado. Veio, então, o período junino, quando o governador Paulo Câmara seguiu monitorando as cidades alvos das chuvas e acabou ficando em débito com os dois municípios que fizeram as maiores festa de São João: Caruaru e Petrolina. A intenção do governador era realizar o seminário nas duas cidades de uma vez só, mas não houve como casar. Primeiro, porque Raquel Lyra estava viajando, agora, e segundo porque Miguel Coelho casa na semana que vem e passará 20 dias de lua de mel. Petrolina é reduto do senador Fernando Bezerra Coelho, que tem o nome ventilado para concorrer ao Governo do Estado e cujo herdeiro, Fernando Bezerra Filho, é ministro de Minas e Energia.

O clima não anda dos mais amenos na cúpula do PSB após o racha que se deu em relação ao governo Temer e Paulo Câmara vem atuando como bombeiro. Não por isso, no entanto, a ida do governador é vista pelo grupo dos Coelhos como um gesto. “Se for assim, o governo está fazendo gesto para Raquel também?”, indaga uma fonte em reserva. Outro aliado do senador pondera ainda que o fato de a comissão provisória de Petrolina, comandada por Miguel Coelho, se transformar em diretório tem mais a ver com a exigência do TSE do que com qualquer aceno do Palácio das Princesas. Em meio a tais circunstâncias, para Miguel, os anúncios que o governador deve fazer valem mais do que as divergências. Para Paulo Câmara, Petrolina, enquanto maior cidade do Sertão, é parada obrigatória. Por ora, unem o útil ao agradável.

O pior já passou
Prefeito de Araripina, Raimundo Pimentel, a despeito de ter vivido embate duro recentemente com o Governo do Estado, marcou presença no Palácio das Princesas ontem. Não teve grandes conversas com Paulo Câmara, mas cumprimentaram-se e, segundo o gestor, o entrevero “foi superado”.

Cicatrizes :
Indagado se o ingresso do PSL na base do governo poderia servir de ponte entre ele e o Palácio das Princesas, Pimentel observa: “Em política, a gente tem que manter as portas abertas. Mas o tratamento que recebemos durante esses dois anos e meio foi hostil, duro, desproporcional”.

Nunca diga nunca : Uma reaproximação é impossível? “Impossível não existe em política, como na vida também”, devolve Pimentel à coluna. Mas houve aceno do governador? “De forma alguma”, encerra o prefeito.

Por perto:
Além de Pimentel, outra liderança que prestigiou a posse de Kaio Maniçoba, embora atue na oposição ao Governo do, foi a prefeita de Ipojuca, Célia Sales.

Vitória... : Para o deputado Tadeu Alencar, que votou a favor do prosseguimento da denúncia contra Michel Temer, na CCJ, o resultado favorável ao presidente foi uma “vitória de Pirro”. Ele faz a seguinte projeção: “O que vale é o plenário, porque, no plenário, ninguém troca deputado”.

...de pirro : “O governo ganhou na comissão, mas, claramente, fragmentou sua base, teve que fazer muita manobra, o que mostra vulnerabilidade, expõe fragilidades. Está nos aparelhos. Só falta desligar”, dispara Tadeu.

Veja também

Gilmar suspende inquérito contra desembargador que deu carteirada para não usar máscara
STF

Gilmar suspende inquérito contra desembargador que deu carteirada para não usar máscara

Governo desrespeita prazos, e Lewandowski cobra planos para Manaus e vacinação
Pandemia

Governo desrespeita prazos, e Lewandowski cobra planos para Manaus e vacinação