Mesária filha de candidato é detida em seção eleitoral em Anápolis

A mesária foi levada a uma delegacia da cidade, segundo o Tribunal Regional Eleitoral de Goiás

Prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB), em entrevista à Rádio Folha FM 96,7Prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB), em entrevista à Rádio Folha FM 96,7 - Foto: André Nery/Folha de Pernambuco

Uma mesária de uma seção em Anápolis (GO) foi retirada do local de votação pela Polícia Federal por ser filha de um candidato a vereador, o que é proibido pela Justiça Eleitoral. A mesária foi levada a uma delegacia da cidade, segundo o Tribunal Regional Eleitoral de Goiás.

Até as 15h, 11 urnas eletrônicas foram substituídas em Anápolis, terceiro maior município do estado e um dos dois a ter segundo turno neste domingo.

Em alguns locais de votação, os eleitores relataram dificuldade com o sistema biométrico, em que a pessoa é identificada pela impressão digital. “Na primeira tentativa teve falha, ai insistimos, coloquei o dedinho outras vezes e deu tudo certo”, contou a professora Marilda Torquato.

Dos 260.567 eleitores de Anápolis, apenas 295 ainda não votam pelo sistema biométrico. Neste ano, não houve Lei Seca no primeiro nem no segundo turno das eleições nos municípios de Goiás. A Secretaria de Segurança Pública avaliou não haver necessidade de restrição na venda de bebidas alcoólicas.

A prefeitura de Anápolis é disputada entre os candidatos João Gomes (PT) e Roberto do Orion (PTB).

Veja também

TCU veta que governo anuncie em site que promove ilegalidade
Política

TCU veta que governo anuncie em site que promove ilegalidade

STF pressiona contra redução salarial e corte de penduricalhos
Política

STF pressiona contra redução salarial e corte de penduricalhos