Michel Temer extingue fundo soberano por meio de medida provisória

De acordo com a medida provisória que extingue fundo soberano, os recursos do fundo serão usados para pagamento da Dívida Pública Federal

Michel TemerMichel Temer - Foto: Reprodução/Facebook

O presidente Michel Temer editou nesta segunda-feira (21) medida provisória (MP) extinguindo o Fundo Soberano do Brasil (FSB). O fundo soberano é uma espécie de poupança do governo criada em 2008, em um momento de superávit primário, com objetivo de aumentar a riqueza do país, estabilizar a economia e promover investimentos em ações e projetos de interesse nacional.

Leia também
MDB aceita esconder Michel Temer durante campanha eleitoral
Temer reúne ministros para discutir alta dos combustíveis
Temer deve anunciar desistência de reeleição em evento do MDB


De acordo com a MP, os recursos do fundo serão usados para pagamento da Dívida Pública Federal. No início deste mês, o governo já havia resgatado R$ 3,5 bilhões do Fundo Fiscal de Investimentos e Estabilização (FFIE) para usar nos vencimentos da Dívida Pública Federal. Os recursos do FFIE são todos do Fundo Soberano. Também compõem o fundo: recursos do Tesouro Nacional, títulos públicos de empresas como o Banco do Brasil e a Petrobras e outras aplicações financeiras.

A extinção do Fundo Soberano já era prevista e faz parte das 15 medidas anunciadas pelo governo em fevereiro e consideradas prioritárias do ponto de vista econômico e fiscal. O Fundo Soberano tinha R$ 26 bilhões até o fim do ano passado e tinha como objetivo usar lucros do pré-sal para desenvolver projetos de interesse do Brasil no exterior. O Tesouro Nacional já trabalhava nas vendas das ações em poder do fundo para embolsar os recursos e encerrá-lo.

Veja também

Governo mira sobra de R$ 9 bi do Bolsa Família para turbinar área social às vésperas de eleição
Eleições

Governo mira sobra de R$ 9 bi do Bolsa Família para turbinar área social às vésperas de eleição

Molon apresenta projeto para sustar decreto de Bolsonaro que libera militares da ativa no governo
OPOSIÇÃO

Molon apresenta projeto para sustar decreto de Bolsonaro que libera militares da ativa no governo