governo

Ministério da Defesa usa Lei de Segurança Nacional e Código Penal Militar contra Gilmar

A PGR vai avaliar a representação e decidir se o caso deve seguir ou se vai arquivá-lo

Ministro Gilmar MendesMinistro Gilmar Mendes - Foto: Carlos Moura/SCO/STF

O Ministério da Defesa enviou nesta terça-feira (14) representação à Procuradoria-Geral da República contra a declaração do ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal) ligando o Exército a um genocídio em razão das mortes por coronavírus no Brasil.

Na notícia de fato, a pasta usa como argumentos artigos da Lei de Segurança Nacional e do Código Penal Militar -que em alguns casos podem alcançar civis.

A PGR vai avaliar a representação e decidir se o caso deve seguir ou se vai arquivá-lo.

 



O Ministério da Saúde é interinamente comandado por um general da ativa, Eduardo Pazuello.

Nos bastidores, políticos e integrantes da Procuradoria e do Judiciário tentam colocar panos quentes na crise aberta entre o ministro do STF e a ala militar do governo. O presidente Jair Bolsonaro não entrou na discussão.

Veja também

Senado avalia relatoria dupla com a Câmara para ter peso na discussão de MPs de Bolsonaro
Congresso

Senado avalia relatoria dupla com a Câmara para ter peso na discussão de MPs de Bolsonaro

Partido do Aerotrem quer ser alternativa para atrair bolsonaristas desgarrados
Política

Partido do Aerotrem quer ser alternativa para atrair bolsonaristas desgarrados