KIT COVID

Ministério da Saúde rejeita protocolo contra uso do 'kit Covid'

A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec) contraindica o uso do 'kit Covid'

Medicamentos do kit CovidMedicamentos do kit Covid - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

O Ministério da Saúde rejeitou protocolo aprovado pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec) que contraindica o uso do “kit Covid”, comprovadamente ineficaz contra a doença, em pacientes em regime ambulatorial, ou seja, que não estão internados.

A decisão, publicada nesta sexta-feira no Diário Oficial da União, é assinada pelo secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Hélio Angotti Neto. No documento, ele justifica que a deliberação foi baseada por uma nota técnica assinada por ele. Olavista declarado, Angotti é conhecido internamente no Ministério da Saúde por tentar promover medicamentos cuja ineficácia é comprovada.

De acordo com o documento,  “do ponto de vista bioético e humanístico” é preciso utilizar “ todos os recursos que mostrarem um nível aceitável de segurança junto a uma expectativa de bem para o paciente”. Menciona  também que o trabalho das diretrizes deve ser “periodicamente revisto e atualizado”. A nota técnica tem 45 páginas e questiona a qualidade do parecer técnico aprovado pela Conitec.

A nota cita ainda a  “possibilidade de falhas metodológicas inadequadamente avaliadas, resultados das Consultas e audiências públicas, e também falta de consenso do plenário da Conitec" como argumentos para a decisão.

Há ainda possibilidade de recurso em um prazo de dez dias. Neste caso, a decisão cabe ao ministro da Saúde.
 

O relatório da Conitec foi aprovado no começo de dezembro, marcado por muita pressão. O documento informa que poucas medicações são efetivas no tratamento contra a Covid-19 para pacientes ambulatoriais, exceto os remédios de anticorpos monoclonais.

Em outubro, quando o colegiado se reuniu pela primeira vez e  houve empate na votação, sem a  presença da  Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Na segunda votação, com a Anvisa presente, o representante da agência desempatou a decisão ao votar a favor do parecer que contraindica o "Kit Covid".

a ocasião, votaram a favor do parecer técnico:  A Anvisa, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o Conselho Nacional Saúde (CNS); o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass); o Conselho Nacional dos Secretários Municipais de Saúde (Conasems), Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde (Sctie) do Ministério; a Secretaria de Vigilância em Saúde.

Contrários ao parecer, ficaram a Secretaria-Executiva do Ministério da Saúde e as secretarias de Saúde Indígena (Sesai), de Atenção Primária à Saúde (Saps), de Atenção Especializada à Saúde (Saes)e de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES), além do Conselho Federal de Medicina (CFM).

Após se posicionar a favor do parecer técnico e contra a opinião do secretário Hélio Angotti, a representante da Sctie no colegiado, Vânia Canuto, foi perseguida pelo chefe. A exoneração de Canuto foi barra pelo ministro Marcelo Queiroga.

A Conitec já não recomendava desde maio o uso desses medicamentos para quem estivesse hospitalizado.  A comissão tem 13 integrantes, sendo a maioria é do Ministério da Saúde.

 

Veja também

Cassação de Arthur do Val é publicada no Diário Oficial de São Paulo
Arthur do Val

Cassação de Arthur do Val é publicada no Diário Oficial de São Paulo

STF rejeita dar prazo para Lira avaliar pedido de impeachment de Bolsonaro
Política

STF rejeita dar prazo para Lira avaliar pedido de impeachment de Bolsonaro