INVESTIGAÇÃO

Moraes promete compartilhar dados sigilosos e terminar investigações do 8 de janeiro em 45 dias

Informações serão prestadas a partir do término de inquéritos; ministro disse que vai finalizá-los em menos de dois meses

Deputado Arthur Maia (União-BA)Deputado Arthur Maia (União-BA) - Foto: José Cruz/Agência Brasil

O presidente da CPI dos Atos, Arthur Maia (União-BA), disse nesta terça-feira que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Mores prometeu compartilhar dados sigilosos das investigações sobre os ataques do 8 de janeiro. O anúncio foi feito pelo parlamentar após reunião entre ambos.

Segundo o deputado, a colaboração ocorrerá em dois momentos. Informações de investigações finalizadas serão entregues imediatamente à CPI. Já os inquéritos que ainda possuem diligências serão compartilhados em até 45 dias. Esse foi o prazo estabelecido pelo magistrado para o fim de todas as investigações relacionadas aos ataques aos Três Poderes.

"Quero comunicar que estivemos em reunião extremamente proveitosa. Todos os nossos pleitos apresentados ao ministro em relação a compartilhamento de dados foram atendidos. O ministro informou que, assim que nós fizermos a solicitação dos processos que estão em sigilo, mas que não estão em diligência, ele autorizará imediatamente o compartilhamento", disse o presidente da CPI, que acrescentou: "Já os processos em diligência, ele pediu que esperássemos a conclusão, e a investigação está em curso e em fase conclusiva. Deu um prazo máximo de 45 para a conclusão dos processos em diligência".

O parlamentar, então, afirmou que defende a convocação de acusados com inquéritos abertos apenas após o prazo de 45 dias, como é o caso do ex-ministro da Justiça de Jair Bolsonaro Anderson Torres.

Ele ressaltou, porém, que ainda precisa falar sobre o assunto com os demais integrantes da comissão.

"Se entendermos que é melhor esperar 45 dias, não há problema. Não haverá nenhum prejuízo. A CPI começou agora e ainda há 5 meses".

O parlamentar também disse que houve aval do ministro do STF para que a CPI possa ouvir investigados nos presídios da Papuda e da Colmeia.

"Não tenho dúvida que esse material trará imensa colaboração".

Veja também

Lira diz que em dois dias Câmara 'já serenou um pouco'
DECORO

Lira diz que em dois dias Câmara 'já serenou um pouco'

97% discordam totalmente da PL 1904, segundo enquete da Câmara
VOTAÇÃO

97% discordam totalmente da PL 1904, segundo enquete da Câmara

Newsletter