Moro discute no Senado proposta de abuso de autoridade

Na madrugada desta quarta (30), a Câmara aprovou pacote anticorrupção do MP com um trecho que trata de abuso de autoridade

A pesquisa também apontou que pelo menos 66% idosos mantêm independência financeiraA pesquisa também apontou que pelo menos 66% idosos mantêm independência financeira - Fotos Públicas

O juiz Sergio Moro foi ao Senado nesta quinta-feira (1º) para debater uma proposta de abuso de autoridade. Ao lado do presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), o magistrado fez sugestões ao projeto, defendido pelo próprio peemedebista.

Moro tem demonstrado preocupação as tentativas do Congresso de aprovar propostas de abuso de autoridade. Na madrugada de quarta (30), a Câmara aprovou o pacote anticorrupção do Ministério Público com um trecho que trata justamente disso.

Na noite de quarta, Renan protagonizou uma polêmica ao colocar em votação um requerimento de urgência que visava a apreciação dessas propostas naquela mesma sessão.

Ao abrir a sessão desta quinta, Renan fez um longo discurso em defesa da proposta. Ele começou sua fala dirigindo-se diretamente a Moro. "A minha segunda palavra, excelentíssimo juiz Sergio Moro, é de reflexão. O consenso supera o confronto. A concórdia prevalece sobre o dissenso. A compreensão e o entendimento afastam a discórdia. As soluções negociadas para as divergências são sempre possíveis, por mais distantes que possam parecer", afirmou.

O senador negou que o projeto tenha qualquer intenção de "intimidação de autoridades no exercício regular de suas funções". "Tenha-se a santa paciência. Não se pune a autoridade, mas o abuso exatamente para garantir a autoridade. O projeto ainda é ameno, bastante ameno", completou.

Veja também

Candidatos a prefeito na RMR repercutem decisão do TRE de proibir atos de rua
Eleições 2020

Candidatos a prefeito na RMR repercutem decisão do TRE de proibir atos de rua

Após queimadas, produtores rurais rejeitam estatuto para proteger Pantanal
Audiência Pública

Após queimadas, produtores rurais rejeitam estatuto para proteger Pantanal