Moro marca novo interrogatório de Lula em setembro

Novo interrogatório está agendado para o dia 13 de setembro, às 14h, por videoconferência, direto da Justiça Federal de São Paulo

Moro marca novo interrogatório de Lula em setembroMoro marca novo interrogatório de Lula em setembro - Foto: Miguel Schincariol/AFP

O juiz Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato, agendou nesta quinta (20), um novo interrogatório do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva: será no dia 13 de setembro, às 14h.

Dessa vez, porém, Moro perguntou à defesa de Lula se seria possível realizar o depoimento por videoconferência, direto da Justiça Federal de São Paulo. Na primeira vez em que o ex-presidente foi interrogado por Moro, um grande esquema de segurança foi montado em torno da sede da Justiça Federal em Curitiba, com bloqueios de ruas e cadastramento de moradores, para evitar confrontos entre apoiadores e críticos do petista.

Para o magistrado, foram "gastos necessários, mas indesejáveis de recursos públicos". No total, R$ 110 mil foram investidos na preparação do evento, que não registrou confrontos. A defesa terá cinco dias para se manifestar a respeito do pedido. O interrogatório é mais uma etapa do processo penal, quando o réu se manifesta acerca das acusações contra si.

O petista vai ser ouvido como réu na ação que investiga se ele se beneficiou de R$ 12 milhões em vantagens indevidas pela empreiteira Odebrecht, na compra de um terreno que seria destinado ao Instituto Lula. O ex-presidente nega qualquer acerto ilícito e diz que o terreno jamais pertenceu ao instituto, mas foi apenas visitado durante a escolha de um imóvel para a instituição.

Lula foi condenado na semana passada na primeira ação a que respondeu na Justiça Federal do Paraná, no caso do tríplex do Guarujá (SP).

Veja também

Embate por competência para investigar presidente amplia racha na Procuradoria
MINISTÉRIO PÚBLICO

Embate por competência para investigar presidente amplia racha na Procuradoria

Comando do PSL, que apoia candidato de Maia, vê debandada pró-Lira
CÂMARA

Comando do PSL, que apoia candidato de Maia, vê debandada pró-Lira